Feriado de Ação de Graças é celebrado pela comunidade brasileira na Flórida

Feriado de Ação de Graças é celebrado pela comunidade brasileira na Flórida

Uma das celebrações mais importantes da cultura americana já encontra espaço no calendário verde e amarelo

Edição de novembro/2018 – p. 05 e 06

O feriado de ação de graças, Thanksgiving em inglês, é um dos mais importantes do calendário americano. As escolas fecham, universidades suspendem aulas, escritórios também ficam sem expediente, tudo porque as famílias e amigos se encontram para celebrar e se confraternizar durante a quarta quinta-feira do mês de novembro.

O dia de ação de graças é uma tradição dos Estados Unidos e do Canadá. Nestes países, o nascimento da festa remonta dos tempos passados. “Dia de Ação de Graças é um feriado em família. É uma época em que a família se reúne em torno da refeição mais importante do ano. A comida está no centro da celebração deste feriado. E, embora seja um feriado em família, é muito importante para todos que ninguém seja deixado sozinho no Dia de Ação de Graças. Ou seja, se houver uma viúva ou viúvo ou outra pessoa solteira que não seja próxima da família, eles serão convidados a participar da Ação de Graças”, fala o professor Steve Cunningham, professor de Inglês e Literatura Americana do Valencia College. “Eu me lembro quando estava na faculdade, sempre levava para casa um amigo que era estudante estrangeiro no Dia de Ação de Graças. No passado, era ainda mais feriado de família do que é agora. Nada funcionava no Dia de Ação de Graças. Nenhum comércio abria, para que as pessoas pudessem passar o dia com a família. É um momento para pausar e pensar em todas as pessoas que são queridas para nós e as coisas que temos em abundância e pelas quais somos gratos. Em muitas mesas de ação de graças, ainda é costume dar a volta à mesa e fazer com que cada pessoa diga ao grupo o que agradece. A refeição continua por horas com o peru obrigatório e todos os acompanhamentos”, relata o professor.

A família de Kelly Oliveira deve se reunir para celebrar o primeiro feriado de Thanksgiving nos Estados Unidos (Foto – Arquivo pessoal)

Tradição – de acordo com historiadores, a primeira “edição” da festa de ação de graças nasceu no estado de Massachussetts, na cidade de Plymouth, em 1621. A região onde a vila foi fundada, é até hoje conhecida por fortes e intensos invernos que, naquele tempo, já castigavam a colheita da comunidade. Após repetidos períodos de baixa produção, o clima melhorou e a produção cresceu novamente, dando tranquilidade aos moradores após o tempo de escassez. Como forma de celebrar o progresso, o então governador da região, que foi colonizada por pouco mais de 100 ingleses que fugiam da perseguição religiosa na Europa, ordenou que fosse preparada uma festa em comemoração à colheita, como forma de agradecer a Deus e confraternizar entre todos os que contribuíram para que a comunidade pudesse sobreviver durante o tempo difícil. Além dos ingleses, cerca de 90 índios também participaram da celebração, que contou com mesa farta, com o tradicional peru, que é famoso nessa época.

Márcio vai passar o primeiro feriado de Ação de Graças com a família (Foto – Arquivo pessoal)

A tradição foi se enraizando tanto que, em 1863, o então presidente Abraham Lincoln declarou a quarta quinta-feira do mês de novembro como o Feriado Nacional de Ação de Graças. E se é tradição, a Thalita Bendilatti, que já mora nos Estados Unidos há quatro anos, faz questão de celebrar. “O feriado de Ação de Graças se tornou uma data muito importante para agradecimento no geral e dedicação para agradecer a Deus pelas nossas conquistas”, comenta a contadora. Ela já conhecia o feriado e a importância dele para a comunidade americana mesmo antes de chegar nos Estados Unidos. “Aqui Thanksgiving é um dos mais importantes feriados do ano (se não for o mais). Todos os anos nas minhas aulas de inglês nós celebrávamos o feriado. Não podia ser diferente já que é uma das datas mais importantes na América. Como o próprio nome diz, é o dia de agradecer pelas boas colheitas que tivemos no ano. Ele é um dia para nos dedicarmos exclusivamente a nossas famílias”, conta Thalita. Outro lado bom é que dá também para colocar afazeres em dia, certo? “Sim! Vou conseguir descansar e colocar os trabalhos da faculdade em dia. Também planejo fazer uma ceia com meu marido para celebrar o dia”, confessa a contadora, que já incorporou o feriado à sua cultura.

Thalita e o esposo, Pedro, já absorveram a cultura do Dia de Ação de Graças (Foto – Arquivo pessoal)

Mudar de país significa, entre outras coisas, aproveitar a interação cultural e tirar grande proveito dela. Parte importante disso é vivenciar as tradições dessa nova cultura. É o que a Kelly Oliveira, que é fisioterapeuta, espera para o seu primeiro Dia de Ação de Graças em Orlando. “Vou passar o feriado aqui mesmo, em Orlando, com minha família, irmão, cunhada e sobrinhos. Vamos fazer um jantar para celebrar. Estou feliz em poder estar aqui para celebrar com mais entusiasmo essa data que no Brasil não é tão importante. Conheço o dia de Ação de Graças por ter uma mãe americana que sempre celebra a data no Brasil, sempre me ensinou a importância de agradecer”, reflete Kelly, que mudou para os Estados Unidos há seis meses.

Professor Steve Cunningham, de Inglês e Literatura Americana no Valencia College

Também recém-chegado, Márcio Pimentel está ansioso pelo primeiro Dia de Ação de Graças em território americano. Ele mudou para Orlando em janeiro deste ano e, como manda a tradição, deve passar o feriado com a família e amigos. “Pelo que tenho escutado é uma data bem comemorativa para os Americanos e espero poder aproveitar e aprender sobre a importância desta data para eles. É uma novidade empolgante, além de ser um feriado totalmente familiar, em que se agradece a Deus e as famílias celebram com fartura gastronômica”, conta o professor de artes marciais.

No fim das contas, o que importa mesmo é aproveitar o dia com quem é importante e apreciar o que temos e o que conquistamos. E mais ainda: reiterar o espírito de coletividade e união, que são valores fundamentais para o Dia de Ação de Graças. “Parece-me que a maioria dos meus amigos brasileiros ainda está tentando descobrir como integrar o Dia de Ação de Graças em suas tradições familiares. Perguntei aos meus alunos brasileiros se eles celebram o Dia de Ação de Graças e eles disseram que sim. Um deles me disse que ela ainda estava tentando entender do que se tratava o feriado, e foi capaz de conectar sua experiência ao feriado como imigrante, uma vez que os peregrinos (Pilgrims), que realizaram o primeiro Dia de Ação de Graças, foram um dos primeiros grupos de imigrantes para os Estados Unidos. E ela disse que tem muito a agradecer em sua vida nos Estados Unidos. São os imigrantes nos Estados Unidos que ajudam a manter vivo o sonho americano. Talvez também sejam eles que ajudem o Dia de Ação de Graças americano a retornar às suas raízes”, conclui o professor Cunningham.