Fartura de vacinas nos EUA atrai turistas brasileiros em busca da imunização

Brasileiros que não conseguem se vacinar no Brasil, buscam os EUA como alternativa

 

Mesmo proibidos de entrar nos EUA, diante do alto número de casos de Covid-19 no Brasil, brasileiros querem acelerar o processo de vacinação e buscam alternativas em Nova York, após quarentena no México. É a corrida pela imunização, e valem todos os esforços no turismo da vacina   

Da Redação 

A disponibilidade de imunizantes contra a Covid-19 nos EUA vem atraindo turistas que não conseguem se vacinar nos seus países de origem. Neste contexto incluem-se os brasileiros, que vêm se organizando para viajar a Nova York, enfrentando a quarentena em outro país – no caso o México. Os EUA já compraram 1 bilhão de doses, o que daria para imunizar quase três vezes toda a população. O presidente Joe Biden tem sido pressionado a compartilhar essas vacinas, mas, até o momento, o democrata só enviou quatro milhões de doses para o México e para o Canadá.

O turista brasileiro continua proibido de entrar nos EUA, desde maio de 2020, com a restrição estabelecida pelo então presidente Donald Trump e mantida pelo presidente Joe Biden, diante do alto número de casos de Covid-19 no Brasil.

Ainda assim, muitos brasileiros querem entrar nos EUA, encontrando como saída à quarentena no México. Ficam por 14 dias em reduto mexicano, e após esse período conseguem entrar por Nova York, desde que tenham visto válido e cumpram outros requisitos determinados pelas autoridades de saúde locais – como a apresentação de um teste de Covid-19 com resultado negativo.

No caso do Brasil, o processo de vacinação ainda é lento – faltam insumos para a produção do imunizante –, e isso faz com que a população na faixa etária entre 30 a 50 anos, permaneça no exaustivo compasso de espera. Em vários estados, por exemplo, à média de vacinados são pessoas com 60 anos ou mais – exceto profissionais da saúde, grupo de comorbidades, entre outros casos. Isso, no entanto, vem despertando a decisão dos “excluídos” em buscar o caminho dos EUA para se vacinar o quanto antes, mesmo se submetendo a gastos dispendiosos na quarentena no México.

 

Vacinação na Times Square

Ponto de vacinação na Times Square – De olho nessa população, disposta a se vacinar, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, quer aproveitar essa fartura de vacinas e apresentou um plano para oferecer doses em pontos turísticos, como na Times Square. Os turistas receberiam a vacina de graça, em dose única – no caso a Johnson & Johnson. Em troca, voltariam a movimentar a economia da cidade.

O plano ainda precisa da aprovação do governador, mas essa facilidade em se vacinar já fez aumentar, no Brasil, a procura de passagens para os Estados Unidos, segundo a Associação Brasileira de Operadores de Turismo. Mas alguns especialistas alertam que o ideal seria doar as doses para outros países vacinarem os grupos prioritários.

“Queremos que todos estejam seguros e obviamente meu coração está com o povo do Brasil. Houve tanta dor, tanta dificuldade”, disse. “Mesmo alguém que está temporariamente conosco, queremos ajudar. Então, estou animado para dizer que a vacinação para turistas está pronta para ir em frente”, afirmou De Blasio durante entrevista.

A meta da Prefeitura de Nova York é instalar vans na Times Square e em pontos turísticos da cidade e vacinar turistas com o imunizante da Johnson & Johnson, que é de dose única. É o chamado turismo da vacina.