Reabertura do turismo traz alívio às companhias aéreas brasileiras após prejuízos 

A retomada do turismo nos EUA representa uma alívio às companhias aéreas do Brasil

 

Após prejuízos de bilhões as companhias aéreas brasileiras tentam recuperar o fôlego na reabertura das fronteiras para estrangeiros nos EUA, com o movimento do fluxo de turistas. Desde o fim das restrições, anunciada pela Casa Branca que os aviões estão mais cheios – a procura por passagens aumentou nas últimas semanas

 

Da Redação

Com as restrições de viagens para os EUA durante o momento crítico da pandemia –cerca de 20 meses –, o setor aéreo sofreu drasticamente com o fechamento das fronteiras para estrangeiros, desde março do ano passado. Para as principais companhias aéreas brasileiras – Azul, Gol e Latam –, a reabertura para o turista brasileiro no último dia 8 de novembro, representa um alívio, pois as medidas representaram um duro golpe, gerando um prejuízo de R$ 8,5 bilhões no terceiro trimestre deste ano.

As três principais companhias aéreas que operam no Brasil tiveram um prejuízo de R$ 8,5 bilhões no terceiro trimestre deste ano, segundo divulgou o setor. No caso da Azul, por exemplo, o impacto foi de R$2,24 bilhões. Já a Gol teve um prejuízo de R$ 2, 52 bilhões e a Latam de R$ 3,74 bilhões.

A volta do turismo brasileiro nos aeroportos do mundo – principalmente nos EUA –, traz um alívio para as empresas aéreas, após um período de tanto sofrimento – com fechamento dos aeroportos. Segundo o presidente da Abracorp (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas), Gervasio Tanabe, a expectativa para novembro é de uma retomada, com a atividade do setor chegando a 70% do patamar pré-pandemia.

E desde o fim das restrições de entrada nos EUA para estrangeiros, anunciada pela Casa Branca, que os aviões estão mais cheios – a procura por passagens é intensa. As empresas aumentaram o faturamento, respectivamente, 69%, 100% e mais de 500% na venda de passagens. Dessa forma, o prejuízo acontece pelo aumento de custos, que em parte ocorre pela alta dos combustíveis. Além disso, há também a manutenção das aeronaves e a variação cambial.

Cidades como Nova York e Orlando são os destinos internacionais mais procurados pelos brasileiros neste fim de ano. A projeção para este mês de novembro feita pela Latam Airlines, uma das companhias aéreas que fazem o trajeto Brasil-EUA, é de que 85% dos voos para o território norte-americano já estão ocupados.

 

Longas filas

Na segunda-feira, foram registradas longas filas ao longo do dia nos balcões da companhia American Airlines, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Funcionários relataram que, desde que saiu a notícia de que as fronteiras dos EUA seriam reabertas, a procura por voos para aquele país tem aumentado.

Segundo a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), Nova York e Orlando lideram os pacotes de viagem nas datas de Natal e réveillon. A maioria dos viajantes vai em férias de família, de acordo com a associação. A Abav, no entanto, não possui números relativos à quantidade de brasileiros que devem viajar para os EUA nos próximos meses. Até então, os destinos mais procurados eram Cancún, Dubai e cidades de Portugal e Espanha.