Escolas desafiam DeSantis e impõem uso de máscara; salários de educadores sob ameaça

Três distritos escolares da Flórida desafiam o governador, exigindo o uso de máscara

 

O governo Ron DeSantis sinalizou que pretende prosseguir com ameaças de reduzir os salários de superintendentes e membros do Conselho Escolar que votam para não dar aos pais a capacidade total ateral de optar por deixar seus filhos fora dos mandatos para o uso de máscara. O clima é tenso entre o governador e escolas

 

Da Redação

Pelo menos três distritos escolares da Flórida estão desafiando o governador Ron DeSantis ao imporem ordens de máscara com algumas exceções médicas, mesmo quando seu governo ameaça reter o pagamento de superintendentes e membros do Conselho Escolar que vão contra suas ordens. “Em nenhum momento permitirei que minha decisão seja influenciada por uma ameaça ao meu salário”, disse um superintendente em resposta.

O governo DeSantis sinalizou que pretende prosseguir com ameaças de reduzir os salários de superintendentes e membros do conselho escolar que votam para não dar aos pais a capacidade total e unilateral de optar por deixar seus filhos fora dos mandatos para o uso de máscara.

As Escolas Públicas do Condado de Broward se tornaram o terceiro distrito do estado a mostrar resistência contra o governador, juntando-se às Escolas Públicas do Condado de Alachua e às Escolas Públicas do Condado de Leon.

O “Departamento de Educação da Flórida” lançou “uma investigação de não conformidade” nos distritos escolares do condado de Broward, Leon e Alachua. Os três distritos atraíram a ira do governo por exigir um atestado médico para permitir que as crianças fossem isentas do mandato da máscara escolar.

As regras impostas pelos distritos são “inconsistentes” com as ordens do governador e, se permanecerem em vigor, isso pode resultar na retenção dos salários dos superintendentes e de todos os membros do Conselho Escolar do departamento, escreveu o Comissário de Educação da Flórida, Richard Corcoran, em cartas aos distritos.

O superintendente das escolas do condado de Leon, Rocky Hanna, expandiu a exigência da máscara para todas as séries, com uma opção de exclusão para os pais, relatou a gerente do Florida Channel News, Theresa Marsenburg, via Twitter. A mudança aparentemente traz as Escolas do Condado de Leon em conformidade com a ordem do governador.

O Conselho Escolar de Broward votou 8-1 para manter os mandatos de máscara com exceção das condições médicas, mas as autoridades estaduais não responderam imediatamente quando questionados se Corcoran havia ameaçado investigar e penalizar financeiramente os membros do conselho.

A decisão final sobre o uso da máscara será feita pelas Escolas Públicas do Condado de Miami-Dade na próxima semana. Ambos os distritos revisaram suas políticas em resposta a um rápido aumento nos casos de Covid-19 na Flórida, incluindo entre crianças, muitas das quais ainda não são elegíveis para vacinas.

Como as autoridades distritais locais optam por desafiar as ordens do governador, não está totalmente claro se as penalidades irão variar com base nos tipos de regras que os distritos implementam ou se as sanções se aplicarão apenas aos salários dos superintendentes e membros do conselho escolar.

O escritório de DeSantis disse que as penalidades contra distritos não conformes serão “estreitamente adaptadas para lidar com o crime cometido” e que “crianças e professores não serão punidos ou enfrentarão consequências adversas pelas decisões tomadas por certos membros do conselho escolar  ou superintendentes.”

A secretária de imprensa de DeSantis, Christina Pushaw, postou no Twitter que o governo está adotando uma abordagem “direcionada” às sanções: “Apenas os salários dos superintendentes e membros do conselho escolar que intencionalmente desafiam a ordem executivae as regras subsequentes de proteção direitos dos pais. ”