Braçadas decisivas

Braçadas decisivas

Provisoriamente classificada para os Jogos Rio-2016 no revezamento 4×200 m livre, Jessica Bruin Cavalheiro busca vaga individual

por Luiz Humberto Monteiro Pereira

jogoscariocas@gmail.com

Jessica Bruin Cavalheiro - Fotos: Flavio Perez/Onboardsports
Jessica Bruin Cavalheiro – Fotos: Flavio Perez/Onboardsports

Pentacampeã brasileira dos 200 m livre e duas vezes medalhista de prata nos Jogos Pan-americanos, a nadadora mineira Jessica Bruin Cavalheiro ajudou a conquistar a vaga brasileira no revezamento 4×200 m livre feminino para as Olimpíadas do Rio de Janeiro. Foi no Mundial de Kazan, em agosto de 2015, quando ela, Manuella Lyrio, Joanna Maranhão e Larissa Oliveira terminaram as eliminatórias em décimo lugar, com o tempo de 7min57s15.  Aos 24 anos, objetivo da atleta do Sesi/SP é baixar ainda mais sua marca – 1min59s77 – e nadar na casa de 1min58. No Troféu Maria Lenk – que será disputado de 15 a 20 de abril no Parque Aquático Olímpico, no Rio de Janeiro –, a nadadora tentará atingir o índice olímpico também nos 200 m livre individual, além de confirmar sua presença no revezamento 4×200 m livre. “Hoje tenho o segundo melhor tempo brasileiro nos 200 m livre feminino. Tem muita gente boa disputando a vaga, tanto para a prova individual quanto para o revezamento. Nunca estive fora de um pódio nas provas nacionais dos 200 m livre desde 2011, sendo que fui campeã cinco vezes. Mas estou treinando forte para as chances se tornarem maiores para mim. Minha principal adversária sou eu mesma. Se eu me superar, já me considero uma vencedora”, comemora Jiba, como é carinhosamente chamada pelos amigos.

Jogos Cariocas – Como se aproximou da natação?

Jessica Bruin Cavalheiro – Meus pais me colocaram para nadar bem pequena, pois eu me mudei para uma casa com piscina e eles não queriam que eu me afogasse. Foi amor à primeira vista desde os 2 anos. Mas eu percebi que queria mais aos 6 anos, quando fui chamada para integrar a equipe da academia e passei a treinar todos os dias. Aos 10, já integrava a equipe do Minas Tênis Clube.

Jogos Cariocas – Quais são seus pontos fortes no esporte? E quais fundamentos precisa aprimorar?

Jessica Bruin Cavalheiro – Sou uma pessoa competitiva e de muita facilidade de se adaptar à dor. Mas preciso melhorar em alguns aspectos. Como alimentação, pois eu gosto muito de doce. Além disso, tenho que aprimorar alguns fundamentos de virada e saída.

Jogos Cariocas – Você nada desde muito nova. Como a natação influiu na sua personalidade?

Jessica Bruin Cavalheiro – Sempre fui bem agitada e a natação me deixa calma. Ela também me ajudou na organização, pontualidade, dar valor ao tempo e ao processo, pois passamos muito mais tempo nos preparando do que realizando. E, principalmente, a tentar buscar excelência sempre.

Jogos Cariocas – Como é a sua rotina, num dia comum?

Jessica Bruin Cavalheiro – Treino no Sesi-S P, na Vila Leopoldina, na capital paulista. Eu tenho nove treinos na semana: segunda, quarta e sábado temos um treino na água; já terça, quinta e sexta são dois treinos na água  – chamamos de “dobra”. Mas basicamente, acordo de manhã, costumo chegar meia hora antes de cada treino para ativar o corpo, treino por duas horas e depois faço a parte física, que intercala um dia treino funcional e no outro musculação. Volto para casa, almoço, durmo e vou para o treino da tarde, de mais duas horas. Nas horas livres, saio com a minha cachorrinha, estudo e resolvo as pendências particulares.

Jogos Cariocas – Como é sua estrutura de patrocinadores?

Jessica Bruin Cavalheiro – Meu clube, o Sesi-SP, banca meu salário, meus técnicos e toda estrutura física de treinamento, como piscina, viagens e academia. Os Correios são uma parceria da CBDA e, quando se está na seleção, recebemos deles um apoio financeiro. E o programa Bolsa Atleta, do Governo Federal, também dá um suporte financeiro adicional.

Jogos Cariocas –  Já sonhou com os Jogos Rio 2016?

Jessica Bruin Cavalheiro – Sonho com isso todos os dias há algum tempo, mas não faço ideia do que vou encontrar. Acho que vai ser mais legal do que eu possa imaginar, com certeza.

Jogos Cariocas – O fato de estar em casa pode representar uma vantagem para os nadadores brasileiros? Ou será que a pressão da torcida pode atrapalhar?

Jessica Bruin Cavalheiro – Acho que só tem a ajudar. Competi no Pan em Toronto e a torcida estava divina. Fiquei só imaginando o tanto que deve dar de incentivo ter a maior parte da arena torcendo para você.

Jogos Cariocas – O que diria para quem quer começar na natação competitiva hoje?

Jessica Bruin Cavalheiro – Seja apaixonado pela natação, esteja disposto a abrir mão de tudo por ela e se dedique!

Curta a página de “Jogos Cariocas” no Facebook, em www.facebook.com/jogoscariocas

jogos cariocas