Piloto de ponto morto

Piloto de ponto morto

Talvez por ter me dado conta de que as noticias alertam  para o aumento cada vez maior de mortos em acidentes de trânsito, foi que lembrei do piloto de ponto morto.

E olha que se formos analisar, a definição não deixa de ter uma razão de ser, e se as pesquisas forem verdadeiras, a coisa então fica feia mesmo. Mas só para os pilotos de  ponto morto.

Tempos atrás andando nas ruas de uma cidade, parado em uma esquina, vi um motorista com belo carro importado, cortar os demais pela direita, furar o sinal vermelho no cruzamento e quase abalroar uma van cheia de crianças. Deu azar de que na mesma esquina haviam dois policiais. E foi parado. É claro, que muito a contra gosto. Já desceu mostrando uma carteira sei lá de que, mas não adiantou.

Enquanto se explicava ou tentava se explicar ao policial, a policial feminina da dupla disse em um largo sorriso que aquele ali jamais seria preso por atentado ao pudor o tentativa de estupro. Eeeepppaaaaa!!!! Como podia ela saber disso? Não aguentei e perguntei.

E a policial me perguntou se eu não sabia mesmo o que era um piloto ponto morto. Claro que não sabia e mais curioso ainda fiquei.

Caminhando e fazendo com que eu a acompanhasse para perto do motorista que estava sendo autuado, disse em voz serena mas alta.

“Estudos realizados na Europa comprovaram que motoristas que agem da maneira como a deste senhor nas ruas e estradas, andam mal de pilotagem na cama.” E arrematou com um sorriso que jamais vou esquecer. “Pode ser uma velha camioneta Veraneio ou uma Mercedes, ele jamais sai do ponto morto!” E se afastou, dando risada.

Então é por isso que os caras saem trocando marcha e acelerando nas ruas e estradas! Poxa! Nunca tinha pensado nisso!

Mas agora também acabei de acordar para outro ponto morto. Vocês já imaginaram o que se passa na cabeça daqueles que andam com o som estourando seus tímpanos dentro dos carros? Ou que ficam em postos de gasolina com alto volume incomodando a todo mundo?

Alguns dizem que é porque precisam demonstrar assim sua superioridade por ter falta de autoridade em casa. Que em casa ninguém mais os ouve e por isso tentam chamar a atenção na rua. Outros já garantem que por serem tão cabeças ocas procuram com o barulho que fazem encher o cérebro com alguma coisa, mesmo que seja de nada. Mas tem também aqueles que garantem e assinam embaixo de que esta mania de som alto serve também para disfarçar piston baixo. Fazem com os sons dos carros o barulho que há muito tempo não fazem mais namorando.

Cantar pneus então? Que linda e maravilhosa mania de assumir um lindo e rebolativo sapateado na beira da calçada. Tem programa melhor? São os pneus saindo do armário, loucos para pegar a estrada.

Mas que coisa! Poxa! Que gente que fala hein?

Mas na verdade, cada um se assume como pode né?

E você? Como vão suas trocas de marcha? Tem alguma problema de piston?

Ou será que também é piloto de ponto morto? Carro em marcha lenta?

Se der mancada, todo mundo vai ficar sabendo do seu ponto morto, cara!

Cuidado!

Antonio Jorge Rettenmaier, Cronista, Escritor e Palestrante. Esta crônica está em mais de noventa jornais impressos e eletrônicos no Brasil e exterior.