Crise no Corinthians se agrava com derrota para a Ponte Preta

Crise no Corinthians se agrava com derrota para a Ponte Preta

Em participação no ‘Redação SporTV’, comentarista Carlos Cereto analisa má fase do Corinthians: ‘É Um Time Sem Alma’

ponte-preta-1-x-0-corinthiansNa última quarta-feira, o Corinthians foi derrotado pela Ponte Preta, vice-lanterna, por 2 a 0, pela 22ª rodada do Brasileirão. O resultado no estádio Moisés Lucarelli aumentou consideravelmente a pressão no Timão. Há cinco partidas sem vencer, a equipe do técnico Tite não tem conseguido se encontrar em campo, diz o comentarista do SporTV Carlos Cereto. Para o jornalista, a desorganização tática, a apatia e a falta de pontaria dos atacantes deixa claro que a fase atravessada pela equipe vai além de falta de sorte.

– É um time sem alma, que não faz gol nem cria oportunidade. Pato foi muito ruim de novo. Até o Gil, que tem sido o principal jogador, está se contaminando, porque falhou. É difícil dizer se há falta de vontade, mas transparece que é um time sem pegada – disse o comentarista no “Redação SporTV”, do canal PFC.

Com os último resultados, as críticas e a insatisfação da torcida corintiana só aumentam. Mas a postura da diretoria do clube segue a mesma. O presidente Mário Gobbi argumenta que Tite tem crédito suficiente para ser mantido no cargo durante a crise. Após conquistar cinco títulos em menos de três anos, especialmente a cobiçada Libertadores da América, o técnico ganhou do departamento de futebol o voto de confiança para, no mínimo, cumprir seu contrato até o fim. O vínculo termina em dezembro deste ano.

Para o comentarista do Canal Campeão, está na hora da direção confirmar ou não a renovação de contrato do treinador, que poderá assim planejar a equipe com mais tranquilidade para a próxima temporada.

– Está na hora do presidente dizer se o Tite será ou não o técnico para a próxima temporada. Isso dá tranquilidade para o treinador pensar a equipe a longo prazo, independente da Copa do Brasil e do Brasileiro. O Tite tem um currículo que fala por si só. Parece-me que o problema não é técnico, e sim os jogadores.

O jornalista prefere acreditar numa junção de fatores pontuais para tentar explicar o atual momento do clube paulista. Mas segundo ele, os últimos tropeços no Campeonato Brasileiro ressaltam que a transferência de Paulinho para o Tottenham, da Inglaterra, está sendo muito sentida pela equipe. A situação teria se agravado ainda mais com a lesão de Guilherme, que vinha substituindo o jogador no time titular antes de sofrer uma lesão grave na coxa esquerda, o que forçou a entrada de Ibson no time.

– Não é possível que a saída de um jogador (Paulinho) leve o time a essa avalanche. Eles têm qualidade, mas não estão jogando absolutamente nada.

Para Maurício Barros, editor da Revista Placar, o técnico deve apresentar novidades no esquema tático da equipe (4-2-3-1). Mas segue como seu preferido para permanecer no cargo.

– Não vejo nome melhor do que o Tite. Ele tem que criar um fato novo no time, porque qualidade tem. Ele tem que seguir, apesar de ter muita pressão pedindo sua saída dirigente tem que trabalhar com cabeça fria, não é hora dele sair.