Petrobras diz desconhecer investigações de órgãos dos EUA

Petrobras diz desconhecer investigações de órgãos dos EUA

Segundo consultoria, departamentos apuram prejuízos de acionistas. Petrobras afirmou não ter sido notificada da abertura de processos.

bandeiraA Petrobras divulgou nota nesta quarta-feira (12) na qual afirma desconhecer que órgãos dos Estados Unidos tenham instaurado processos para investigar supostas irregularidades na estatal brasileira. Conforme a Gerência de Imprensa da empresa, a companhia não foi notificada da abertura de investigações.

Segundo relatório enviado pela consultoria brasileira Arko aos clientes em outubro, o Departamento de Justiça dos EUA, órgão que regula o mercado financeiro no país norte-americano, investiga se as denúncias de desvio de dinheiro da Petrobras infringiram a lei anticorrupção norte-americana e prejudicaram os acionistas da empresa com ações em Nova York.

No Brasil, a Petrobras se tornou alvo de investigações da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal após ter sido deflagrada, em março, a operação Lava Jato, que investigou suposto esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. O esquema criminoso, segundo a PF, movimentou cerca de R$ 10 bilhões e teria tentáculos na estatal do petróleo.

“Sobre as notícias veiculadas na imprensa, a  Petrobras esclarece que desconhece qualquer investigação que esteja sendo feita no âmbito do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) ou da Securities and Exchange Comission (SEC)”, diz a Petrobras.

Conforme a nota, a companhia não recebeu notificação sobre a abertura de investigações para identificar eventual violação à legislação americana, em razão das denúncias que envolvem a estatal.

Nesta quarta-feira, o ministro Jorge Hage, da Controladoria-Geral da União (CGU), determinou a abertura de um processo para apurar o caso da empresa holandesa SBM Offshore, suspeita de pagar propina a funcionários da Petrobras para obter contratos com a estatal. A firma é uma das maiores empresas de aluguel e operação de plataformas e presta serviços de afretamento desses equipamentos para a estatal.

‘Faz parte do jogo’
Nesta quarta, em Doha (Catar), a presidente Dilma Rousseff o relatório da consultoria brasileira sobre as investigações e afirmou que “faz parte do jogo” empresas com ações no mercado norte-americano prestarem contas segundo as regras do país. Além disso, avaliou Dilma, os EUA têm de investigar se há cidadãos envolvidos em alguma irregularidade.

“Isso faz parte das regras do jogo. Empresas cotadas na bolsa de Nova York têm de prestar contas segundo as regras de Nova York. Além disso, não são muito diferentes das brasileiras. Os Estados Unidos têm de investigar se têm cidadãos americanos envolvidos em alguma irregularidade. Acho que, pelo contrário, isso mostra que o mundo está evoluindo no que se refere a isso”, disse a presidente.

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pela Petrobras nesta quarta-feira:

Esclarecimento

Sobre as notícias veiculadas na imprensa, a  Petrobras esclarece que desconhece qualquer investigação que esteja sendo feita no âmbito do Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) ou da Securities and Exchange Comission (SEC). A companhia não recebeu notificação de nenhum dos dois órgãos acerca de abertura de investigações para identificar eventual violação à legislação americana, tendo em vista as denúncias efetuadas no âmbito da “Operação Lava Jato”.

A Petrobras, através do escritório americano contratado para conduzir as investigações independentes, Gibson, Dunn & Crutcher LLP, já fez contato com os referidos órgãos americanos, informando sobre o início dos trabalhos para apurar tais denúncias na companhia.

Fonte: g1.globo.com