Edu admite conversa no vestiário, mas garante que Tite permanece

Edu admite conversa no vestiário, mas garante que Tite permanece

Gerente de futebol fala em abatimento e afirma que técnico não colocou cargo à disposição. Treinador não foi à coletiva após a goleada diante da Portuguesa 

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A goleada por 4 a 0 diante da Portuguesa ampliou a tensão no Corinthians. Após a partida em Campo Grande (MS), o treinador Tite não compareceu à coletiva de imprensa, aumentando os comentários de que ele poderia deixar o cargo. O gerente de futebol do clube, Edu Gaspar, admitiu que o clima no vestiário não foi bom, mas garantiu que o treinador não colocou o cargo à disposição. E que ele segue no cargo.

– Teve um papo no vestiário, não vou negar. Com os atletas. O Tite não colocou o cargo à disposição. Estava chateado, sem dúvida nenhuma. Como todos nós. Mas a palavra do presidente Mário Gobbi, do Roberto Andrade (diretor de futebol), do Duílio (Monteiro Alves, diretor-adjunto) e a minha continua a mesma quanto à permanência do Tite no cargo. Pela total confiança que temos no trabalho dele. Para evitar qualquer tipo de especulação sobre a permanência dele no cargo – afirmou, em entrevista ao SporTV News do PFC Internacional.

– O Tite também conversou (com os jogadores). Eu conversei com eles também, um papo de pessoas que querem mudar, pessoas que estão sentindo na pele o que está acontecendo. Preferimos deixar o Tite um pouco à parte em alguns momentos em que os atletas estavam falando e eu também. Depois ele também falou. Não chega a ser uma reunião, mas mostramos ali o sentimento que todos estavam. Acho que é importante todos assumirem responsabilidades, ser crítico cada um dentro da sua posição e buscar melhorias já porque o tempo passou. E eles sabem que eles podem mudar. A atitude que os atletas tiveram, e isso não foi imposição minha, do Tite ou do presidente, de se colocar à disposição e vir aqui se explicar é muito bacana, e mostra o comprometimento que nós temos e queremos mudar essa situação o quanto antes – acrescentou.

O gerente de futebol afirmou ainda que os jogadores e a diretoria vão dar suporte para que o treinador possa esquecer um possível desânimo ou vontade de deixar o clube.

– Isso é uma coisa extremamente pessoal, mas vou dar um exemplo para vocês. Vi em muitos momentos atletas que não estavam no seu melhor momento e o professor Tite puxou o atleta e fez ele se sentir importante de novo. Se ele estiver num momento como esse, emocionalmente mal, porque não os atletas e diretoria também puxar o treinador para dar um incentivo a ele? Acho que isso também é importante. Se esse for o motivo, vamos resgatá-lo também.

Edu Gaspar admitiu que houve abatimento no vestiário, mas garantiu que o elenco está comprometido em encerrar a má fase e voltar a conseguir bons resultados.

– Não adianta achar culpados. É um todo, nós estamos falando de um grupo de trabalho. Quando ganhamos os títulos que ganhamos, todos saíram vitoriosos e abraçados, e num momento como esse temos que estar abraçados de novo. Essa é a sensação de todos ali. Estão realmente abatidos e estão querendo mudar. Passou do ponto, já deveria ter melhores resultados, mas a postura foi de mostrar que o grupo todo está comprometido com o que o Corinthians quer.

Após a goleada para a Portuguesa, o Corinthians caiu para a 13ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 31 pontos. Seis a mais que o Criciúma, que hoje estaria rebaixado. O atual campeão mundial não vence há um mês. Nas última oito partidas, marcou apenas um gol (na derrota po 2 a 1 para o Goiás, no Pacaembu).