Orlando City amplia invencibilidade na MLS para oito jogos

Orlando City amplia invencibilidade na MLS para oito jogos

Orlando_City_2014O Orlando City levou cerca de 30 mil torcedores para o estádio Orlando Citrus Bowl na noite desta sexta-feira (11/03), em sua segunda partida pela temporada 2016 da Major League Soccer (MLS), contra o Chicago Fire.

O público presente conferiu a estreia do meia Antonio Nocerino. O ex-Milan esteve em campo durante 60 minutos e falou sobre sua primeira experiência em campo na liga norte-americana: “A atmosfera aqui é surpreendente. A força que o Orlando City tem quando joga em casa, graças ao apoio da torcida, é incrível”. Sobre a comparação com as ligas da Europa, Nocerino explicou: “Na Itália, há mais foco na tática, já a MLS é mais agressiva, foca bastante na velocidade e exige bastante fisicamente”.

Com 67% de posse de bola no primeiro tempo, o Orlando City SC trabalhou sua ofensividade desde o início. O resultado foi o gol de Cyle Larin, marcado aos 4 minutos, o segundo do atacante em dois jogos.

Mesmo atrás no placar, o Chicago Fire não se intimidou e, aos 14 minutos, João Goossen deixou David Accam cara a cara com o goleiro Bendik, marcando para os Reds e deixando tudo igual. Após o empate, a partida ficou bastante equilibrada, com ataques perigosos dos dois lados. Mas aos 32 minutos, Michael Harrington foi expulso após entrada perigosa no capitão da noite, Brek Shea, deixando o Fire desfalcado.

No segundo tempo, o Orlando City fez inúmeras investidas contra o gol adversário, com Molino criando boas oportunidades e Cyle Larin sendo bastante acionado, mas parou nas boas defesas de Matt Lampson. Aos 73 minutos, Hadji Barry entrou na partida e trouxe um novo gás para os Lions, assim como Pedro Ribeiro, que substituiu o estreante Nocerino e quase empatou a partida com um foguete de fora da área que acabou atingindo o travessão.

“Estamos obviamente desapontados com o resultado final. Mais uma vez, o time criou muitas oportunidades, mas não falhou nas finalizações”, disse Adrian Heath, técnico do Orlando City. “O time do Chicago Fire também tem de levar o crédito. Com homem a menos, eles se organizaram bem na defesa, sem deixar de nos ameaçar nos contra-ataque”, completou.

O atacante Cyle Larin também falou sobre as oportunidades perdidas pela equipe. “Acho que não demos o suficiente hoje. Se tivéssemos pressionado mais, eles estavam com 10 homens, poderíamos ter ampliado o placar em até três gols”, lamentou.

O Orlando City fará sua primeira partida fora de casa nessa temporada no próximo dia 18 de março, contra o New York City FC, às 21h. Após a partida no Yankee Stadium, os Lions retornam ao Orlando Citrus Bowl em 3 de abril para receber o Portland Timbers.

TIMES 1 2 final

Orlando City 1 0 1

Chicago 1 0 1

GOLS

ORL – Cyle Larin (Kevin Molino) 3′

CHI – David Accam (John Goossens) 14′

CARTÕES

CHI – Matt Polster (cartão amarelo) 28′

CHI – Michael Harrington (cartão vermelho) 32′

ORL – Cristian Higuita (cartão amarelo) 62′

CHI – João Meira (cartão amarelo) 71′

ORL – Servando Carrasco (cartão amarelo) 75′

CHI – David Accam (cartão amarelo) 83′

ORL – Brek Shea (cartão amarelo) 90′

 

ESCALAÇÕES/SUBSTITUIÇÕES

Orlando City SC – Joe Bendik (GOLEIRO), Rafael Ramos, Tommy Redding, Seb Hines, Brek Shea, Servando Carrasco, Cristian Higuita (Hadji Berry 73′), Antonio Nocerino (Pedro Ribeiro 63′), Adrian Winter, Kevin Molino, Cyle Larin.

Banco: Earl Edwards, Jr., Kevin Alston, Luke Boden, Aurelien Collin, Hadji Barry, Harrison Heath, Pedro Ribeiro.

Chicago Fire – Matt Lampson, Jonathan Campbell, Michael Harrington, Johan Kappelhof, João Meira, David Accam, Arturo Alvarez (Rodrigo Ramos 87′), John Goossens (Razvan Cocis 73′), Matt Polster, Brandon Vincent, Kennedy Igboananike (Joey Calistri 84′)

Banco: Sean Johnson, Rodrigo Ramos, Joey Calistri, Razvan Cocis, Nick LaBrocca, Michael Stephens, Alex Morrell.

Estatísticas:

Chutes:

ORL – 13

CHI – 10

Defesas:

ORL – 1

CHI – 4

Escanteios:

ORL – 6

CHI – 2