A regra do jogo – Nasce uma nova Domingas

A regra do jogo – Nasce uma nova Domingas

Maeve Jinkings - Foto: Ellen Soares / Gshow
Maeve Jinkings – Foto: Ellen Soares / Gshow

Chega ao fim o conto de fadas vivido por Domingas (Maeve Jinkings), pelo menos por enquanto. De tanto procurar, ela acaba descobrindo o passado de César (Carmo Dalla Vecchia) e, para a sua decepção, ele tem outra família e outra identidade. Rodrigo, o seu verdadeiro nome, é casado com Gisela (Larissa Bracher). Ele fugiu de casa após um enorme trauma: um acidente que resultou na morte de seus dois filhos. Nos próximos capítulos, ela terá que se despedir do homem que, além de amante, foi um grande companheiro e responsável por mostrar para Domingas que ela pode e deve ser feliz.

A separação é dolorosa, sofrida e não poderia ser diferente. Ao lado de César, Domingas descobriu o que é ser amada. Mas ela sabe que não é possível começar um novo relacionamento com uma história pregressa mal resolvida. Embora César entenda que precisa ficar ao lado de Gisela neste momento, dizer adeus também não é fácil para ele. “César é um homem que não esqueceu do que aconteceu, mas quis evitar uma conexão com Gisela, pois isso o levava a uma conexão com a dor pela perda dos filhos”, conta Carmo Dalla Vecchia.

Repórteres estiveram nos estúdios de A Regra do Jogo, para acompanhar as emocionantes cenas com os atores deste núcleo, dirigidas por Joana Jabace. Eles viram de perto como Domingas vai reagir à separação de seu grande amor. E mais do que isso, acompanharam como essa nova Domingas se relacionará com o ex-marido, Juca (Osvaldo Mil), que não desistirá facilmente de tentar voltar para casa. Aquela mulher subjugada e submissa ficará no passado de Domingas. “Esse cara não tem defesa, mas eu acho que ele ama Domingas”, confidencia Osvaldo.

As cenas da separação de César e Domingas estão previstas para ir ao ar no canal internacional da Globo a partir de sexta-feira, dia 22, nas Américas e sábado, 23, na Europa, África, Japão e Austrália. ‘A Regra do Jogo’ é escrita por João Emanuel Carneiro e tem direção de núcleo de Amora Mautner.