Werdum domina Velásquez e fica com título do UFC 188 no México

Werdum domina Velásquez e fica com título do UFC 188 no México

O brasileiro encaixa guilhotina no terceiro assalto e domina o adversário. Em embate acirrado consolidou a vitória do Brasil frente o americano Cain Velásquez. Em Orlando, a vitória foi comemorada pela tia do atleta, que revela momentos de tensão diante da TV. Haja coração!

DSC_0242

Foi um duelo impactante, destacando-se a impetuosidade do brasileiro Fabrício Werdum, que não deu chances ao adversário, o americano Cain Velásquez, e o sucumbiu aos 2m13s do terceiro assalto, com uma guilhotina encaixada em seu pescoço, obrigando-o a render-se. Com isso, o gaúcho – de Porto Alegre -, conquista o título linear da categoria na luta principal do UFC 188, no México, para a alegria de sua torcida. Ele agora é 10º brasileiro a obter o título linear da organização e fez jus aos cinturões dos pesados. Em meio às comemorações, com os olhos grudados na televisão, Mônica Spilberg, tia de Werdum, acompanhava atenta o embate, em Orlando, ao lado de amigos. Ela pulou de alegria diante da vitória do sobrinho e repetiu a frase que sempre disse ao seu pupilo: “Best of the best”.

“Quase morri do coração, durante a luta”, lembra Mônica. “Teve momentos que o meu coração vinha à boca e pensei que não ia aguentar, tamanha a emoção. Mas o Werdum foi perfeito, soube dominar o adversário com categoria, o que me deixou muito orgulhosa. Desde os 14 anos de idade que ele pratica esportes. Tem a veia de campeão e hoje, graças aos seu talento, os Estados Unidos e o Brasil podem testemunhar isso”, relata com orgulho.

“Quando o Fabrício veio a Orlando para disputar os Jogos Panamericanos em 2000 – Centro de Convenções de Kissimmee -, ficou na minha casa”, conta Mônica. “Na ocasião ele morava em Madri, na Espanha. O Werdum esteve brilhante naquele ano nos Panamericanos e conquistou o título de campeão na sua categoria. Em 2002 voltou novamente a Orlando para os Jogos Panamericanos e também ficou com o título. Mas isso é de família porque o irmão dele, o Felipe, que vive na Espanha, é mestre de capoeira e vai muito bem no esporte”, diz.

Atualmente residindo na badalada Venice Beach, em Los Angeles – Califórnia -, Fabrício Werdum montou uma academia no local, hoje muito bem frequentada, explica Mônica. Além disso, é comentarista esportivo da Fox Internacional, com participação ativa às sextas-feiras no programa da emissora. “Sempre que posso, assisto o Fabrício na Fox. Ele fala muito bem”, enfatiza. “Temos algo em comum porque sou torcedora do Grêmio de Porto Alegre e ele também. Somos gremistas”, gaba-se sorrindo.

Mas como a vitória requer empenho e dedicação para se obter bons resultados, com Fabrício Werdum não foi diferente. Disse a tia que ele treinou durante dois meses no México, em preparação à luta que lhe valeu o título. “Ele precisava de melhor condicionamento físico porque no México a altitude requer adaptação”, lembra. É importante ressaltar que quem vive em cidades ao nível do mar ou em localidades relativamente baixas não está acostumado às condições atmosféricas das grandes altitudes – portanto, o organismo sente o impacto da mudança e precisa de tempo para se adaptar. “O Fabrício se preparou bem e obteve o resultado que queria”, finaliza.