Os Ácidos Graxos Ômega-3 alimentam o Cérebro Emocional

Os Ácidos Graxos Ômega-3 alimentam o Cérebro Emocional

voltar

ABR/15 – pág. 51 e 56

Nos últimos 20 anos, surgiu um novo conhecimento a respeito dos ácidos graxos essências, e o ômega-3 é um deles. Ácidos graxos essências são àqueles que o corpo não consegue fabricar, e eles tem um papel importantíssimos na constituição do cérebro e na manutenção de seu equilíbrio.
Desde a gravidez, estas gorduras são a principal nutrição que o feto recebe pela placenta. Após o nascimento, os ácidos graxos ômega-3 continuam ser passados para o bebê pela amamentação maternal, esgotando muitas vezes as reservas que a mãe possui para seu próprio organismo. Caso uma segunda gravidez segue-se a primeira, sem que a mãe reponha as quantidades necessárias de ômega-3 através da dieta (peixe principalmente) a mãe corre sério risco de depressão, e/ou parto prematuro. A depressão pós-parto ocorre entre três a vinte vezes mais frequentes nas culturas que consomem dieta pobre em peixes.

med_natural

Combustível para o cérebro

Um importante fator neurológico, é que dois terços do cérebro são compostos de ácidos graxos. Uma equipe de pesquisadores europeus demonstraram que uma dieta rica em ômega-3, como a dos esquimós leva, a longo prazo, ao aumento do número da produção de neurotransmissores (dopamina) e acarreta bom humor no cérebro emocional.

Esta observação dos cientistas em relação aos esquimós, despertou uma série de pesquisas em diversas universidades dos EUA. Em Haward, Andrew Stoll M. D., foi o primeiro a comprovar a eficácia de óleo de peixe ômega-3 para estabilizar mudanças de humor e tratar depressões em maníaco-depressivos. No grupo de estudos que trabalhou, somente um paciente teve recaída. Os resultados foram definitivamente convincentes. Após passar anos estudando os mecanismo do humor e da depressão, o Dr. Stoll estava tão impressionado com os efeitos do ômega-3 que resolveu escrever um livro ,The Omega-3 Conection. Desde então se tem demonstrado que seus benefícios vão muito além do tratamento dos maníaco-depressivos.

Os estudos demonstram que todos os sintomas associados a depressão como a tristeza, fadiga, ansiedade, falta de concentração, alterações do apetite, insônia, baixo libido, pensamentos persistentes de morte , melhoraram com o uso de ômega-3. Infelizmente, devido a fatores de ordem econômica, os ácidos graxos essenciais não são de muito interesses para as indústrias farmacêuticas, que pagam pela maioria dos estudos científicos realizados sobre depressão.

Há dois tipos de ácidos graxos essenciais: o ômega-3 e o ômega-6. O ômega-3 vem das algas, do plâncton, peixes e de algumas folhas incluindo grama. O ômega-6, vem dos grãos, encontrado em abundância nos óleos vegetais, e na gordura animal, especialmente na carne de animais alimentados com grãos, que em excesso provoca uma resposta inflamatória em todo o corpo, gerando uma variada quantidade de problemas.

Fontes dos ácidos graxos ômega-3

Peixes de água doce – ricos em gordura – são as melhores fontes de ômega-3. Os peixes criados em cativeiro frequentemente são menos ricos em ômega-3. O salmão pescado no oceano por exemplo, é uma excelente fonte de ômega-3, mas o criado em cativeiro não é confiável. Os peixes pequenos são os menos contaminados com mercúrio, e outros carcinógenos e,são fontes mais confiáveis de ômega-3, porque estão na base da cadeia alimentar; como exemplo temos a anchova, sardinha, cavala, arenque. Também são boas fontes, o atum, o hadoque e a truta.

Fontes vegetarianas: Semente de linhaça, nozes inglesas, verduras de folhas verdes. Outras fontes:espinafre, beldroega-pequena, agrião e algas marinhas.

Em relação às carnes, de animais selvagens ou aqueles alimentados de grama e ou folhas verdes possuem mais ômega-3 que os animais alimentados com grãos, que são a grande maioria. A carne dos animais alimentados com grãos são mais ricas em ômega-6, que quando fora de proporção com o ômega-3 possuem propriedades inflamatórias.

Os alimentos ricos em concentração de ômega-6, como as carnes e ovos não orgânicos, preparações como frituras, competem com o ômega-3, causando ou agravando os processos inflamatórios, responsáveis por inúmeras enfermidades.

O ômega-3 em forma de suplementos, em geral são bem tolerados, exceto o gosto de peixe na boca, geralmente eliminado ao tomá-lo no inicio das refeições. As pessoas que tomam anti-coagulantes, ou apresentam quadros de sangramento, somente devem tomar sob orientação e cuidados médicos.

Quase todas as medicinas, quer a Tibetana, Chinesa, Ayuevética, e a Greco-Romana, enfatizaram a importância da nutrição em seus textos primitivos. Hipócrates (o pai da Medicina) escreveu há 2400 anos: “Que sua comida seja seu remédio e seu remédio sua comida.”

O cérebro, é parte importante de nosso corpo, necessita ser bem alimentado também com: bons pensamentos, momentos de alegria, diálogos úteis e positivos com amigos, atividades físicas agradáveis, e integração com a natureza. Afinal, somos parte de um todo, de uma rede onde estamos todos interligados e somos todos um!

O bem que fizermos a nós, se refletirá no próximo, e consequentemente no meio em que vivemos!

Elly Tuchler
Médica Acupunturista
www.acuhomeo.com
(407) 373-0606