EUA: Texas pede US$30 milhões a governo por crise migratória

EUA: Texas pede US$30 milhões a governo por crise migratória

Cresceu o número de crianças desacompanhadas que chegam ao estado

Crianças imigrantes desacompanhadas se concentram no Departamento de Saúde e Serviços Humanos no sul do Texas em 12 de junho Foto: Reuters
Crianças imigrantes desacompanhadas se concentram no Departamento de Saúde e Serviços Humanos no sul do Texas em 12 de junho
Foto: Reuters

Estado do Texas pediu nesta quinta-feira US$ 30 milhões ao Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos pela crise migratória na fronteira com o México, onde disparou o número de crianças que chegam desacompanhadas ao país americano, a maioria procedente de Honduras, El Salvador e Guatemala.

O procurador-geral do Texas, o republicano Greg Abbott, informou nesta quinta-feira em comunicado que os agentes de fronteira notificaram um aumento de 92% no número de crianças imigrantes que tentam atravessar a fronteira sem seus pais.

“A chegada de menores imigrantes extrapolou a capacidade dos agentes fronteiriços, que reservam seu tempo e recursos para os aspectos humanitários deste influxo e não estão disponíveis para garantir a segurança da fronteira e impedir a atividade criminosa. Nos preocupa que não seja possível controlar a perigosa atividade dos cartéis, o tráfico de drogas e de pessoas”, explicou Abbot.

O procurador-geral acrescentou que “garantir a segurança na fronteira com o México é responsabilidade do governo federal. Como isso simplesmente não está ocorrendo, o estado do Texas pede recursos emergenciais para dar suporte às suas próprias iniciativas de segurança na fronteira”.

Devido a essa crise, o governo americano pediu nesta quinta-feira que os pais centro-americanos não mandem seus filhos para os EUA, sozinhos ou através das redes de tráfico humano.

No ano fiscal de 2013, que terminou em setembro, o Escritório de Alfândega e Proteção Fronteiriça (CBP, sigla em inglês) dos EUA registrou 24 mil crianças desacompanhadas que cruzaram a fronteira. Já em maio, esse número aumentou para 47 mil, sobretudo na área do Rio Grande, no Texas.

Fonte: terra.com.br