Do Marketing de Guerrilla ao Marketing Digital

voltar

SET/12 – pág. 35

Dez Estratégias para Melhores Negócios

Cada mercado ou público direcionado precisa de específica ação ou categoria de soluções para assim existir efetiva aproximação entre um produto/serviço e seu potencial consumidor. Uma coordenação adequada e que inclui diferentes formatos de estratégia de marketing, como marketing direto, marketing digital, marketing tradicional, além de parcerias empresariais e eventos promocionais, pode ser a melhor opção para alcançar o êxito de uma campanha.

Segue abaixo, relação das melhores táticas usadas hoje, principalmente nos EUA, e em particular entre as pequenas empresas com menor orçamento para marketing. Cabe a você decidir por um “pacote mais completo” ou escolher apenas algumas dessas táticas – identificando as melhores opções dependendo do seu bolso, do mercado a ser atingido e da sua necessidade imediata.

1. Blogging: o uso inteligente do blog (do mesmo jeito que mídias sociais – veja abaixo) passou a ser excelente ferramenta do que hoje chamamos marketing “2.0”, e o porquê é o poder de interação com um prospecto interessado por um tema que tenha a ver com sua empresa/produto/ serviço e o fator de relevância que os blogs passaram a ter em relação às ferramentas de busca como o Google e o Bing.

2. Press-Releases: a maioria dos donos de empresas de médio porte ou o departamento de marketing de grandes corporações sempre usou esse método. Mais recentemente, os donos de pequenas empresas, assim como músicos e produtores de shows, por exemplo, têm usado essa estratégia como forma de marketing de comunicação. O “PR” é um comunicado de imprensa que se produz (etapa 1) e se distribui (etapa 2) para um banco de dados específicos de editores e repórteres (dependendo da área a ser atingida) para deixar saber algo relevante sobre você ou sua empresa.

3. Vídeo Marketing: o vídeo através das plataformas populares na web, como é o caso do You Tube e do Metacafe, passaram a ter muita importância no que se refere ao marketing de comunicação. Você sabia que alguns dos mais importantes cantores da atualidade ficaram famosos primeiro no You Tube? Mas não é apenas por aí, você ja viu mensagens de vídeo em postos de gasolina ou no caixa do supermercado perto da sua casa? O ponto é que, com o avanço da tecnologia, produzir vídeos de qualidade a baixo custo é possível. No que se refere à produção e efetividade da mensagem corporativa, claro, o que é necessário é “saber contar a história”. E o básico de um bom “script” é expor um problema, sabendo desenvolver o desenlace com a solução para esse respectivo problema.

4. Social Marketing: as mídias sociais, hoje, podem fazer importante papel no quesito marketing e comunicação, mas não pense que, usando apenas o Facebook, você vai atingir os resultados esperados. Claro, existem várias mídias sociais no mercado e as principais hoje são o Facebook, o Twitter, o Google Plus, o Linkedln e o Pintrest. Mas o ponto aqui é a capacidade de interação que você ou alguém que trabalha para você pode conseguir. O ponto inicial é o conteúdo que você (ou esse alguém) posta, a frequência e a consequente interação com o seu potencial cliente ou “fan”.

5. Online Marketing: considerado a melhor estratégia para quem vende online, o online marketing é abrangente e inclui táticas de “SEO” (otimização web para as ferramentas de busca), como é o caso de criar backlinks (o link da sua empresa em websites de relevância para o Google/Bing/etc) e a criação de artigos com palavras chaves dentro do texto etc. Já o que chamamos de Local SEO, hoje, é de fundamental importância para as pequenas empresas que têm uma presença física em uma determinada cidade ou vizinhança (um consultório de dentista ou uma floricultura, por exemplo). *Em nosso website www.kisuccess.com, temos um artigo específico sobre o tema Local SEO.

6. E-marketing: o e-marketing continua sendo força alternativa para a distribuição de sua informação e notícias diretamente para o seu público consumidor. Comece a construir uma identidade para a sua empresa com a criação de um eNewsletter (mensal por exemplo) e onde você (ou alguém ou uma empresa contratada) pode anunciar promoções. Um fator importante é a inclusão de notícias relevantes sobre a área de atuação de sua empresa e/ou produto e/ou serviço. Lembre-se, também, de que as pessoas não gostam de ser “vendidas”, mas amam ser “informadas”. O maior foco é educar potenciais consumidores através de e-mail e associando o seu produto ou serviço. *Essa tática também se aplica ao “social marketing”.

7. Marketing de Evento: o foco é promover a sua “marca” ou fazer o potencial consumidor identificar o “brand” em um determinado produto ou serviço. Participar de “trader shows” ou feiras e convenções relacionadas à sua indústria é a chave e pode ajudar a ampliar o seu network em áreas de vendas e distribuição, por exemplo. Patrocinar um evento em que um público específico possa identificar sua marca também pode ser fator relevante. Por que será que a Budwaiser patrocina eventos esportivos? “Catch the Idea”?

8. Uso de Seminários e/ou Workshops Virtuais: esse formato é um pouco parecido em termos de conceito com o marketing de evento, mas funciona melhor para alguns tipos de profissionais que tentam vender o seu serviço ou produto. Bons exemplos: um corretor de imóveis ou um advogado de imigração ou um consultor de marketing, como o autor desse texto. O ponto chave é informar e educar as pessoas e, a partir daí, criar o seu “brand personal” com expert no tema.

9. Uso de Podcasts: o podcasting funciona como um blog, mas sendo seu aplicativo diferente. Pode ser escutado em áudio através do assinante do podcast. No caso do blog, publicam-se “posts”, e, no caso do podcast, publicam-se “episodies”. Parecido no conceito com os blogs e os vídeos, o podcast tornou-se popular depois do surgimento dos arquivos de áudio Mp3 e dos Ipods. O seu uso também pode ser efetivo para criar um “brand personal”. Em outro tipo de exemplo, um autor pode contar um capítulo do seu livro de forma grátis através de áudio, e assim gerar o interesse “por mais” da parte do ouvinte ou consumidor.

10. Publicidade em Meios de Comunicação: sobre esse formato, quero dizer inicialmente, e em particular aos que duvidam de sua efetividade, que sim, o marketing através da TV, do Rádio e dos Jornais e Revistas continuam sendo efetivos e com uma enorme força. O que é necessário, no entanto, é saber como e quando utilizá-los. Depende muito do produto ou serviço e do público alvo. Se você é dentista em Los Angeles e está pensando em anunciar em um canal de TV brasileira nos EUA, talvez essa não seja a melhor opção – mas talvez seja se você for um dentista em NY/New Jersey, que tem 4 ou 5 vezes a população Brazuca de L.A. Eu produzo o Anual Carnaval Cultural Brasileiro de Santa Barbara (100 milhas ao Norte de Los Angeles), e duas semanas prévias de campanha em duas rádios locais (uma em espanhol e outra em inglês) dão bom resultado. No caso das mídias impressas, também é muito relativo, mas é de suma importância você saber qual a tiragem da respectiva mídia impressa, onde ela é distribuída e se há monitoramento de sua circulação. Escutar um dono de jornal dizer que distribui 50,000 jornais e não comparar e/ou monitorar é um erro. Outro fator importante é saber sobre a credibilidade do jornal ou revista em relação ao leitor (seu potencial consumidor). Um ponto de vista que defendo é o que um jornal com bom conteúdo informativo e 100 pontos de distribuição pode ser muito melhor em termos de “ROI” (retorno do investimento) do que uma revista 100% em “glossy stock” (super bonita), mas com um conteúdo a desejar e com 50 pontos de distribuição (entendeu o conceito?).

Lindenberg Jr.
Jornalista, consultor 
de marketing e produtor 
de eventos
www.kisuccess.com