Abrir ou não abrir um novo negócio nos EUA? Eis a questão

Abrir ou não abrir um novo negócio nos EUA? Eis a questão

Abrir uma empresa tem sido uma opção cada vez mais procurada por brasileiros e estrangeiros em geral que chegam aos Estados Unidos, visto as dificuldades de conseguir um bom emprego ou porque precisam criar renda para sobreviverem. Entretanto, as dificuldades envolvidas nesse processo são muitas, sendo preciso investir tempo em muita pesquisa, planejamento e determinação antes de apostar nisso

Edição de outubro/2018 – p. 22

Amado por uns, nem tanto por outros, atualmente os Estados Unidos possuem a maior economia do mundo com PIB de $17.7 trilhões por ano e é considerado como um dos mercados mais atraentes, competitivos e prósperos do mundo. Empreender, ou mesmo trabalhar em uma economia forte e estável como a americana, é o desejo de milhares de estrangeiros que aqui chegam para conquistar o sonho de uma vida melhor.

O pensamento de começar seu próprio negócio em um país “estranho”, apesar de ser altamente atraente, pode ser assustador, se não intimidador. Mas conhecer e entender bem os desafios de empreender, ao mesmo tempo que fazer um bom planejamento para enfrentá-los, podem ajudar não só a otimizar investimentos, maximizar o dinheiro poupado, bem como também ganhar confiança no sucesso e seguir em frente.

Então, como minimizar erros e começar a tirar uma ideia do papel em um país diferente?

Primeiro, antes mesmo de abrir uma empresa, você precisa entender o país no qual está disposto a investir e empreender. Um dos grandes erros de quem muda de país, e quer tentar empreender em outro, é o fato de que muitos não entendem a seguinte máxima: NOVO PAÍS, NOVO MERCADO, NOVA REALIDADE!

A forma de fazer negócios nos Estados Unidos é muito diferente da forma feita no Brasil. O importante é compreender as diferenças, culturas e sutilezas do mercado. Se fizermos uma comparação rápida entre os dois países: na América, os custos operacionais, impostos e simplicidade burocrática favorecem o empresário e os negócios. Mas, por outro lado, a competição é muito maior, mais competitiva e diferenciada.

Para se ter um negócio de sucesso, não basta responder somente qual o melhor negócio, se é melhor vender em loja de rua ou internet, quem são os melhores fornecedores, onde estão os clientes, como eles compram e se comportam, quais são os principais concorrentes, quais são as legislações, permissões e taxas pertinentes, entre muitas outras questões. Se você quer abrir um negócio em outro país, precisa entender primeiro os quatro grandes desafios para poder seguir em frente:

  1. barreira da língua: muitos chegam aos Estados Unidos achando que ter fluência na língua ao estilo “the book is on the table” será suficiente para entender as necessidades dos clientes e conversar com fornecedores. Isso acaba sendo um erro fatal, pois se ninguém entende você e você não entende ninguém, como pode qualquer negócio ser feito? Portanto, aprenda a falar razoavelmente o inglês;
  2. cultura: jeitinho brasileiro nos Estados Unidos não funciona! A criatividade pode ser um grande diferencial na forma de fazer negócios desde que não ultrapasse os limites do que é ético, certo, justo e honesto. Deixar de pagar impostos, burlar regras e contratos, bem como as permissões de negócio e trabalho, podem até render frutos no início, mas quando as autoridades tiverem a certeza de que você não está agindo certo, você será “pego” (talvez preso), processado ou mesmo deportado. Portanto, seja criativo sim, mas correto;
  3. falta de dinheiro: pode acreditar, empreender é igual ou pior que reformar uma casa. Você se planeja para gastar X e acaba gastando 2X, 3X, ou muito mais. Sempre existem imprevistos e obstáculos mal dimensionados, que podem fazer com que o dinheiro planejado para ser investido não seja suficiente para concluir ou levar adiante o dia a dia da nova empresa. Portanto, planeje, planeje, planeje e se prepare para investir muito mais do que o esperado;
  4. entenda o país: não caia na tentação de achar que o que “funciona” no Brasil, funciona na América. O gosto, estilo e pensamento do americano são muito diferentes do brasileiro ou do latino, por exemplo. Seja na forma de vender, comprar, de interagir ou mesmo de pagar, entender bem como age e pensa, o potencial cliente é fator primordial de sucesso ou fracasso em qualquer negócio.

Portanto, estude muito tudo o que envolve o dia a dia de uma empresa, sua legislação, seu mercado e clientes, e procure ajuda de quem já está empreendendo nos Estados Unidos para orientá-lo.
Apesar de nem tudo ser um “mar de rosas” e as dificuldades serem constantes para um empreendedor, vale lembrar que aqueles que persistem, focam, trabalham muito e pensam fora da caixa, são os que mudam o mundo e constroem empresas como Apple, Microsoft, Facebook, Netflix, Amazon, entre muitas outras.