Funcionários do Twitter temem demissão e questionam comando de Musk

Funcionários do Twitter demonstram preocupação com o futuro da rede sob o comando de Elon Musk

Funcionários do Twitter tiveram reunião de emergência e questionário qual será o futuro da rede social diante dos do CEO Elon Musk; também sobre a  possível volta de Donald Trump e mudanças na compensação salarial

Da Redação

Em uma reunião de emergência, após anúncio da compra do Twitter pelo bilionário Elon Musk , funcionários da rede social perguntaram sobre os planos do novo CEO e da volta de Donald Trump, e sobre mudanças na compensação salarial. O encontro ocorreu depois que o conselho do Twitter anunciou que havia chegado a um acordo para vender a empresa a Musk por US$ 44 bilhões, ou US$ 54,20 por ação.

______continua após a publicidade_______

retaxes

O acordo encerra um ciclo de notícias no qual o dono da “Tesla” e da “SpaceX” se tornou um dos maiores acionistas do Twitter, foi oferecido e recusou um assento em seu conselho e apresentou uma oferta para comprar a empresa – tudo em menos de um mês. Ele é apontado como o homem mais rico do mundo no comando de uma das redes sociais mais influentes.

Funcionários também levantaram questões sobre como as mudanças propostas por Musk para a plataforma, incluindo o afrouxamento das restrições de conteúdo, tomarão forma. A preocupação seria com possíveis demissões, o que gerou um clima de insegurança.

Segundo os atuais diretores do Twitter, “não há planos para demissões neste momento” e que as políticas de trabalho remoto do Twitter continuam em vigor.

“Entre agora e o fechamento do acordo, continuaremos tomando decisões como sempre fizemos, guiados pelos princípios que tivemos”, disse um dos diretores. “Isso não significa que as coisas não vão mudar, as coisas estão mudando.Eu tenho falado sobre impulsionar mudanças positivas na empresa e continuarei fazendo isso porque isso nos torna melhores e mais fortes”.

Em resposta à pergunta sobre Trump, removido do Twitter no início do ano passado por violar suas políticas de incitação à violência após o motim do Capitólio, diretores disseram à equipe que é algo que eles deveriam perguntar a Musk e disse: “Assim que o negócio for fechado, saberemos em que direção a plataforma irá”.

De sua parte, Musk disse em um comunicado que “a liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento, e o Twitter é a praça da cidade digital onde são debatidos assuntos vitais para o futuro da humanidade”. Ele acrescentou que “o Twitter tem um tremendo potencial”.

____________________publicidade___________________

seguro

seguro

anuncie