Velho Chico

Velho Chico

Afrânio (Rodrigo Santoro) e Leonor (Marina Nery) Foto: Globo/Caiuá Franco
Afrânio (Rodrigo Santoro) e Leonor (Marina Nery)
Foto: Globo/Caiuá Franco

Uma grande história de amor, uma saga familiar que atravessa gerações. ‘Velho Chico’ narra o amor maior: pelo rio São Francisco, pelo Brasil, pela natureza e que vai se revelar na grandeza do sentimento entre Maria Tereza (Isabella Aguiar/ Julia Dallavia/ Camila Pitanga) e Santo (Rogerinho Costa/ Renato Góes/ Domingos Montagner). Do outro lado das margens desses amores habita a ganância, a ambição desenfreada, o coronelismo arcaico, ainda muito presente em nosso país: a paixão pelo poder a qualquer custo.

Amores proibidos, capazes de balançar estruturas antigas em uma jornada emocional pelo Brasil profundo. “É um reencontro com a brasilidade, com a história do nosso país e de sua gente, dos amores puros e dos desencontros, uma declaração de amor à nossa terra, contada com uma emoção brasileira, nossa! Um romance que começa na década de 1960 e desemboca numa atualidade cercada de contradições. Uma novela de amor, mas também emoldurada por uma crítica social”, destaca Luiz Fernando Carvalho, diretor da trama. Já o autor Benedito Ruy Barbosa ressalta que é uma história com alicerce na verdade. “Esse Brasil existiu e existe até hoje. Mas o principal são as histórias de amor. Aquele amor passional de ficção, sabe?”.

Uma história que mostra a cultura arcaica dos coronéis, com suas fazendas produtoras de algodão erguidas muitas vezes em circunstâncias que oprimiram o povo nordestino. Nos dias de hoje, seus herdeiros formados em novas tecnologias do solo, habituados ao uso de novos procedimentos, buscam o reequilíbrio da natureza e, consequentemente, um mundo melhor e mais justo para todos. Essa é a nova geração de ‘Velho Chico’, chamada pelo diretor Luiz Fernando Carvalho de “admirável mundo novo”.

O enredo do romance entre herdeiros de famílias rivais se entrelaça à trajetória de luta pelo renascimento do Rio São Francisco. A saga tem início no final dos anos 1960, na fictícia Grotas de São Francisco, e se estende até os dias de hoje. A briga familiar, que começou pelas águas e avançou pelas terras, perde o sentido para a nova geração, mas nem por isso a rivalidade deixa de existir e de impedir que antigos amores interditados pela família se reencontrem.

‘Velho Chico’ é uma novela de Benedito Ruy Barbosa, escrita por Edmara Barbosa e Bruno Luperi, com direção artística de Luiz Fernando Carvalho.