Ser obeso aumenta o risco de desenvolver câncer?

Ser obeso aumenta o risco de desenvolver câncer?

Edição de março/15 – pág. 52

sua_saude_andreEstá bem estabelecido que a cirurgia bariátrica tem uma série de benefícios para a saúde dos indivíduos com excesso de peso, incluindo uma menor incidência de diabetes tipo 2, hipertensão arterial e doenças cardíacas pós-cirurgia. Mas poderia também levar à diminuição do risco de câncer? Estudos sugerem isso. Durante a última década, vários estudos mostram ligação entre a cirurgia bariátrica e o risco reduzido de câncer. Estudos, no passado, demonstraram que a obesidade aumenta o risco de câncer, mas agora descobrimos que a cirurgia bariátrica reduz esse risco.
O cirurgião bariátrico canadense Nicolas Christou, por exemplo, publicou um artigo notável mostrando que adultos obesos submetidos à cirurgia para perder peso pode reduzir o seu risco de desenvolver alguns tipos de câncer em até 80%. Essa foi a primeira vez que a cirurgia de perda de peso foi demonstrada de como afeta a incidência de cânceres de mama e de cólon dramaticamente.

Estudos na Suécia e Utah também tiveram resultados semelhantes. O estudo sueco, que incluiu 2.000 pacientes submetidos à terapia de dieta ou cirurgia restritiva gástrica, mostrou a redução dramática na incidência de câncer entre as mulheres que fizeram a cirurgia. No estudo de Utah, mais de 6.500 pessoas que tiveram bypass gástrico foram comparadas com mais de 9.400 pessoas severamente obesas que não tinham. O estudo encontrou redução significativa na incidência de câncer e mortes relacionadas ao câncer após a perda de peso, principalmente entre os pacientes com câncer avançado. Embora a cirurgia bariátrica tem claramente um efeito sobre o câncer, ainda é um mistério de como a perda de peso pode reduzir o risco da doença, especialmente se o inverso é verdadeiro, sobre obesidade aumentando as chances de desenvolvimento de câncer.

O excesso de peso pode afetar a função do sistema imunológico, os níveis hormonais, inflamação, a regulação da divisão celular e proteínas no organismo, levando a desequilíbrios que podem aumentar o risco de câncer. Na verdade, American Cancer Society estima que uma em cada três mortes por câncer nos EUA está ligada ao peso corporal excessivo, alimentação inadequada e inatividade física. A cirurgia bariátrica, em grande parte, pode ajudar a corrigir alguns dos problemas mencionados que, normalmente, colocam uma pessoa em maior risco. Ela também pode reduzir a mortalidade por câncer em ambos os cancros não relacionados com a obesidade. A cirurgia pode causar fisiologia única e alterações bioquímicas que influenciam células de gordura e inflamação de uma forma que a perda de peso por si só não o faz. Há também o argumento de que os indivíduos que se submetem à cirurgia tendem a ser mais pró-ativos sobre a sua saúde e tomam medidas para prevenir o câncer, em comparação a indivíduos com controle parecidos por peso que não se submeteram a cirurgia bariátrica.

Além de optar ou não por se submeter a uma cirurgia bariátrica, a manutenção de uma dieta saudável e o estilo de vida podem ajudar a diminuir o risco de câncer. Para as pessoas que são obesas, isso é fundamental. A obesidade aumenta o risco de desenvolver cancros da mama, cólon, pâncreas e vesícula biliar, entre outros. Ainda há muita pesquisa a ser feita para determinar a relação exata entre as taxas de cirurgia bariátrica e câncer, mas esses procedimentos têm benefícios significativos em longo prazo para a saúde e a qualidade de vida das pessoas em geral.