Osteoporose

voltar

JAN/15 – pág. 62

sua_saude_elaine_osteoporoseO osso, além de promover sustentação ao nosso organismo, é fonte de cálcio, necessário para a execução de diversas funções, como os batimentos cardíacos e a força muscular. É uma estrutura viva que está sendo sempre renovada. Essa remodelação acontece diariamente em todo o esqueleto, durante a vida inteira. Aosteoporose é uma doença que se caracteriza pela diminuição de massa óssea, com o desenvolvimento de ossos ocos, finos e de extrema sensibilidade, tornando-os mais sujeitos a fraturas.

Perguntas mais frequentes

Quem não gosta de leite apresenta maior risco de ter osteoporose?

Não. Uma das dicas de prevenção da doença é preocupar-se com a ingestão mínima de cálcio necessário para manter os ossos saudáveis. São recomendados 1.200 mg por dia. Para quem não gosta de leite, é só recorrer a outros laticínios, como queijo.

Quem tem osteoporose não pode praticar atividade física?

Pelo contrário. Praticar exercícios físicos é essencial. Nesse caso, os exercícios devem ter impacto mínimo. Caminhada é a atividade mais recomendada.

Devo me preocupar com a osteoporose somente após a menopausa?

Não. O nível de cálcio no organismo, de fato, é menor após a menopausa, mas a sua incidência não está ligada a essa fase. Sua prevenção deve ser uma preocupação ao longo da vida. Para isso, basta seguir algumas ações cotidianas, como expor-se à luz do sol sem filtro, durante 15 minutos todos os dias. O sol deve incidir sobre a face, tronco superior e braços. Atenção: deve-se evitar o sol após 10 horas da manhã. Vale ainda ingerir vitamina D diariamente comendo verduras e laticínios que fornecem este tipo de vitamina.

A osteoporose é uma doença feminina?

Mulheres têm mais osteoporose que os homens, pois têm os ossos mais finos e mais leves e apresentam perda importante durante a menopausa. No entanto, homens com deficiência alimentar de cálcio e vitaminas estão sujeitos à doença.

A osteoporose é hereditária?

Não significa dizer que, se o histórico familiar forfavorável àosteoporose, todos vão desenvolver a doença. Mas é importante, sim, identificar se os pais são portadores de osteoporose. Em caso positivo, deve-se manter cuidado redobrado na prevenção da doença. Explicação: a vitamina D é mais eficiente na absorção do cálcio em algumas pessoas do que em outras e essa característica é hereditária. Descendentes de pessoas que têm menor capacidade de absorção do cálcio no organismo e que apresentaram osteoporose quando adultas têm maior probabilidade de apresentar a doença. Mas nada que bons hábitos alimentares não possam mudar este quadro.

Fatores de risco

  • Mulheres e homens orientais correm mais risco de sofrer fraturas pela osteoporose, por um problema anatômico no fêmur;
  • História familiar de osteoporose;
  • História prévia de fratura por trauma mínimo;
  • Tabagismo;
  • Baixa atividade física;
  • Baixa ingestão de cálcio;
  • Baixa exposição solar;
  • Alcoolismo;
  • Imobilização;
  • Ausência de períodos menstruais (amenorreia) por longo período;
  • Baixo peso corporal.

Sintomas da osteoporose

A osteoporose é uma doença silenciosa, que dificilmente apresenta qualquer tipo de sintoma e se expressa por fraturas com pouco ou nenhum trauma, mais frequentemente no punho, fêmur, colo de fêmur e coluna. Outros sintomas que podem surgir com o avanço da doença são:

  • Dor ou sensibilidade óssea;
  • Diminuição de estatura com o passar do tempo;
  • Dor na região lombar devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
  • Dor no pescoço devido a fraturas dos ossos da coluna vertebral;
  • Postura encurvada ou cifótica.

Tratamento

A boa notícia é que existem tratamentos eficazes caso você já tenha a doença. Procure um endocrinologista, que poderá conduzir seu tratamento de maneira adequada e tranquila. Como a osteoporose pode ter diferentes causas, é indispensável determinar o que provocou a condição antes de propor o tratamento, que deve ter por objetivo evitar fraturas, diminuir a dor (quando existe) e manter a função. Existem várias classes de medicamentos que podem ser utilizadas de acordo com o quadro de cada paciente. São elas: os hormônios, os bisfosfanatos, os modeladores de receptores de estrogênio e a calcitonina de salmão. A administração subcutânea diária do hormônio das paratireoides está reservada para os casos mais graves de osteoporose e para os intolerantes aos bisfosfonatos.

Sempre é bom lembrar que osteoporose é conhecida, atualmente pelos especialistas, como uma epidemia silenciosa que pode ser combatida. Apesar de manifestar-se em idade avançada, é preciso se preocupar com sua prevenção desde a gestação.

Mudar hábitos e adotar um estilo de vida saudável é um investimento para uma vida longa e saudável!

 

[box type=”note” icon=”none”]

10 coisas que você precisa saber sobre osteoporose

1 – A osteoporose é uma doença silenciosa, isto é, raramente apresenta sintomas antes que aconteça sua consequência mais grave, isto é, uma fratura óssea. O ideal é que sejam feitos exames preventivos para que ela seja diagnosticada a tempo de se evitar as fraturas.

2 – Os nossos ossos recebem forte influência do estrogênio, um hormônio feminino, mas que também está presente nos homens, só que em menor quantidade. Esse hormônio ajuda a manter o equilíbrio entre a perda e o ganho de massa óssea. Por esse motivo, as mulheres são as mais atingidas pela doença, uma vez que, na menopausa, os níveis de estrogênio caem bruscamente. Com essa queda, os ossos passam a se descalcificar e tornam-se mais frágeis. De acordo com estatísticas, a osteoporose afeta um homem para cada quatro mulheres.

3 – Uma a cada quatro mulheres com mais de 50 anos desenvolve a doença. Estima-se que a proporção da osteoporose para homens e mulheres seja de seis mulheres para um homem a partir dos 50 anos e duas para um acima de 60 anos. Aproximadamente uma em cada três mulheres apresentará uma fratura óssea durante a vida.

4 – Os locais mais comuns atingidos pela osteoporose são a espinha (vértebras), o bacia (fêmur), o punho (rádio) e braço (úmero). Destas, a fratura mais perigosa é a do colo do fêmur. Um quarto dos pacientes que sofrem esta fratura morrem dentro de 6 meses.

5 – Muita dor nas costas e diminuição de estatura podem representar fraturas vertebrais da osteoporose. Preste atenção!

6 – O diagnóstico precoce da osteoporose é feito pela medida da Densitometria Óssea. Possuem maior risco para desenvolver osteoporose as mulheres, indivíduos de raça branca, pessoas miúdas (magrinhas e pequenas), que tiveram menopausa precoce e não fizeram reposição hormonal, os fumantes, que possuem história de fraturas na família, que possuem doenças graves ou que utilizam corticoides por longo tempo, e aquelas que já tiveram fraturas na idade adulta.

7 – Uma medida de Densitometria Óssea está indicada para todas as mulheres a partir de 65 anos e para todos os homens com 70 anos ou mais. Além disto, todas as mulheres menopausadas e todos os homens com mais de 50 anos que possuam um dos fatores de risco descritos devem realizar o exame para confirmar a presença da osteoporose.

8 – A prevenção da osteoporose deve se iniciar na infância, através de uma alimentação saudável, com boa quantidade de alimentos ricos em cálcio (especialmente presente nos laticínios e, em menor quantidade, nas verduras escuras, no gergelim, no feijão branco e no tofu). Além disso, deve-se proporcionar para a criança e ao adolescente a possibilidade de brincadeiras e atividades ao ar livre. Isso não somente vai estimular o exercício físico, que fortalece o esqueleto em crescimento; mas também possibilitar a exposição ao sol para que ocorra a produção de Vitamina D na pele.

9 – A Vitamina D é fundamental para nossa saúde, em especial para o fortalecimento ósseo. Como ela não está presente na maioria dos alimentos, temos que obtê-la através da exposição ao sol ou, quando isso não for possível, através de suplementos vitamínicos.

10 – O risco de desenvolver a Osteoporose pode ser reduzido se medidas como alimentação rica em cálcio, manutenção de uma atividade física e aporte adequado de Vitamina D foram proporcionados ao longo da vida. Entretanto, é importante salientar que, mesmo com todos esses cuidados, uma parte dos indivíduos vai ter osteoporose, pois a herança genética ainda não pode ser modificada.

[/box]

Elaine Peleje Vac
elaine@nossagente.net
(Médica no Brasil)
Não tome nenhum medicamento sem prescrição médica.
Consulte sempre o seu médico.