Equipe Bravo de Volleybal é destaque em campeonato

Equipe Bravo de Volleybal é destaque em campeonato

Ocupando o terceiro lugar no ranking do 44th AAU Girls Junior National Volleyball Championships “Campeonato Nacional Feminino de Volleyball” – categoria 14’U Classic -, o time conquistou respeitabilidade, sob o comando do empresário e coach Kadão – Ricardo Pereira, ex-atleta de vôlei no Brasil

Edição de julho/2017 – pág. 12

O que seria apenas treinamentos para a filha Luciana se aprimorar no volleyball acabou se transformando em uma equipe altamente competitiva nos Estados Unidos, ocupando o terceiro lugar no ranking do “Campeonato Nacional Feminino de Volleyball” – categoria 14’U Classic -, representando a “Escola Bravo Volley – Brasil Volleyball Academy”, em Orlando. O evento esportivo que contou com jogadoras de Porto Rico, Colômbia e Canadá, aconteceu no ESPN Wide World of Sports e Convention Center em Orlando, reunindo cerca de 30 mil atletas, em disputas acirradas que ocuparam 172 quadras de volleyball. Sob o comando do empresário e coach Ricardo Alexandre Correa Pereira, o popular Kadão, ex-atleta profissional e coach de vôlei no Brasil, o time Bravo ganhou respeitabilidade e já se prepara para novas competições. “Antes do campeonato nacional, nós ganhamos dois torneios regionais, o que garantiu a nossa vaga no nacional. É um momento importante para a equipe e estamos nos preparando para os futuros desafios”, adianta Kadão, também proprietário da “Escola Bravo Volley – Brasil Volleyball Academy”.

E para quem experimentou a emoção dentro da quadra como atleta, o papel de coach e de pai não tem sido nada fácil, segundo Kadão. “São lados diferentes, embora o espírito seja competitivo. O meu lado coach também é difícil, pois estou atento a todo instante”, explica. “Eu sofro como coach e como pai, pois enquanto atleta, a adrenalina fica a mil, mas vai passando ao longo das jogadas. Você vai incorporando a situação e as coisas ficam amenas. Já na posição de coach a situação difere porque você não para um segundo porque precisa orientar as atletas, observar o adversário e estudar cada jogada e modificá-las quando necessário. Agora, o pai é uma emoção do começo ao fim do jogo”, analisa.

“Eu comecei jogando volleyball aos oito anos de idade”, lembra. “Mas no Brasil, infelizmente, não tem o incentivo dos Estados Unidos em formar atletas e alunos. Tenho pouco estudo, fui profissional, mas precisei ser empresário no ramo de restaurante e pizzarias para sustentar a minha família. No esporte tive contato com todos os tipos de pessoas, de classe alta e de classe baixa, e isso trouxe importância ao meu trabalho porque o esporte coletivo nos ensina a convivência em grupo. Um jogador tem de lidar com os colegas, ter espírito de convívio e aprender com as diferenças”, avisa.

“O meu filho, que adora jogar futebol de campo, foi na casa de um amigo de sua equipe no Brasil e voltou para casa surpreso. Ele viu de perto o sofrimento da família do amigo, que morava em uma casa mais simples do que a dele, sem tanto conforto e isso o deixou surpreso e triste. Ele não tinha convivido com as dificuldades de um orçamento doméstico mais apertado e se comoveu com a situação do amigo, que não tinha um tênis para jogar bola”, relata Kadão. “É isso que a gente aprende no esporte, o que é fundamental, a solidariedade”.

“Aqui nos Estados Unidos – está a quatro anos residindo com a família em Orlando -, eu vi o outro lado do esporte. Sempre quis trabalhar como coach no Brasil, mas não tinha condições e foi por isso que entrei no ramo de restaurante e pizzarias. Aqui aprendi a viver e ser respeitado como coach, pois toda profissão aqui se tem um salário que permite viver bem e com dignidade”, desabafa. “No Brasil isso não acontece.”, ressalta Kadão.

Incentivo à prática do esporte

“Os Estados Unidos investe no atleta e no aluno. E o aluno que tem um bom desempenho no esporte consegue ingressar nas melhores universidades do país. É um incentivo à prática do esporte. Para um atleta ser convocado para a Seleção nos Estados Unidos precisa passar pela universidade. O basquete é um esporte profissional no país, o volleyball ainda não é, mas tem uma grande importância”, complementa o coach.

Indagado sobre a Seleção Brasileira de Volleyball, Kadão foi enfático: “A nossa Seleção passa por um período muito difícil. A política no esporte do Brasil está caótica e os atletas não estão satisfeitos. E com todas as dificuldades do Brasil, a nossa Seleção chegou ao topo. Fez o seu melhor”, elogia. “Outro ponto essencial é a Educação. A estrutura das escolas públicas é algo importante, tem de ser compatível porque se trata da formação do cidadão. No Brasil não temos condições necessárias para a prática de esportes nas escolas públicas. E somos considerados o país do futebol”, ironiza. “Na Flórida têm mais campos de futebol do que no Brasil. Os gramados são maravilhosos”.

“Como coach faço um trabalho diferenciado no volleyball, com a estrutura que o país oferece. A minha habilidade como coach colabora na formação de novos atletas. A ´Escola Bravo Volley´ tem recebido alunos que chegam com objetivo de crescer na modalidade e não meço esforços para que isso aconteça. E desde a nossa classificação no ´Campeonato Nacional´, aumentou a procura para treinar em nossa escola. Estamos de braços abertos para receber aqueles que querem de fato ter um bom desempenho no esporte, garantindo vagas nas principais universidades do país”, incentiva Kadão.

“Nossa academia de volleyball surgiu quando percebemos que para conseguirmos fazer nossa filha evoluir no esporte pelo qual ela se apaixonou, já morando nos Estados Unidos, precisaria encontrar uma academia que lhe desse a estrutura necessária para desenvolver suas habilidades no esporte”, diz o coach. “Decidi ensinar tudo o que sabia do estilo brasileiro de jogar volleyball porque ela precisava aprender os fundamentos básicos. Daí nasceu a ´Bravo Volley – Brasil Volleyball Academy’, em agosto de 2015 , com a experiência singular”.

“Nossa equipe disputou entre 129 equipes e terminou o torneio em terceiro lugar na categoria – 14’U Classic. Houve evolução e conquistas, dentro e fora das quadras com nossas meninas guerreiras, onde todas treinaram muito pesado nos últimos dez meses. Elas estudaram muito também e mantiveram notas excelentes na escola, pois essa é a nossa meta. A equipe Bravo vem se firmando no cenário americano, priorizando cada atleta, cada particularidade, cada necessidade, moldando os nossos treinos para conseguir a excelência de todos. O olhar para dentro de si e a busca de se superar a cada dia. Essa é a nossa filosofia”, conclui Kadão.

Serviço

Escola Bravo Volley

Endereço: 783 Celebration Ave. – Celebration – FL – 34747

Tel: (407)927-9496

contact@bravovolley.com

lidvani@bravovolley.com

Website: www.bravovolley.com

Facebook: Bravo Volley