Perseguição requer atenção redobrada de indocumentados

Perseguição requer atenção redobrada de indocumentados

Edição de julho/2019 – p. 03

Perseguição requer atenção redobrada de indocumentados

O imigrante indocumentado neste país continua à sombra da ilegalidade, enfrentando um tempo de perseguição acirrada com medidas adotadas por estados americanos em identificar os autoproclamados cidadãos indesejados. E mediante a intolerância, é essencial que o cuidado seja redobrado a partir de agora, evitando o elemento surpresa, o que, certamente, desencadeará prisões e até deportação. E, repentinamente, voltamos n a mesma cena, sofrendo o mesmo de sempre, com a intransigência de agentes de imigração – agora auxiliados por policiais treinados na Flórida –, em localizar o alvo, indubitavelmente os que estão expostos ao perigo.

E se há intempérie no complexo universo imigratório, os comentários racistas do presidente Donald Trump, que atacou quatro congressistas de forma arbitrária, pedindo para que “regressem aos seus países de origem”, acentuou ainda mais a xenofobia no país. O republicano foi irônico ao rebater as críticas das mulheres no Congresso, afirmando não ter “um só osso racista no meu corpo”. Mas o que Trump não se deu conta é de que o ódio nasce na mente e contamina o coração.

Para os imigrantes indocumentados é mais uma etapa de desafios, com nuvens carregadas que se formam no horizonte, então é conveniente reforçar as atenções, pois o contratempo vem das ruas – das rodovias ou até mesmo na abordagem em residências. Não se trata de terrorismo psicológico, mas do alerta sobre o “furacão da inclemência” que assola nossos sonhos, ronda nossas famílias e ameaça diluir expectativas. Ceder ao medo é estar despreparado em meio à tempestade.

E como se não bastassem tantas pressões oriundas da Casa Branca, orquestradas pelo presidente Trump, alfândega e agentes de imigração têm acesso à foto da carteira de motorista de indocumentados para análises de reconhecimento facial. Um mau presságio, sem dúvida, que poderá acelerar a onda de batidas no país – a retomada do salve-se quem puder.

E você, leitor, deve estar se perguntando: “O que fazer?” Combater o imprevisível é tarefa que requer equilíbrio – autoconfiança e a autoestima. Elas são aliadas importantes para que você supere situações de austeridade, mantendo-se focado e consciente de que um erro de conduta poderá comprometer sua trajetória nos EUA. Ter o cuidado essencial, é não se tornar alvo quando na interpelação da Imigração. Cuide-se, por favor!