Internação de pacientes mais jovens, não vacinados, é preocupante na Flórida 

O aumento de internação de adultos entre 20 e 40 anos, com Covid, surpreente na Flórida

 

 

Segundo comunicado do CDC, a Flórida lidera no número de casos de Covid causado por adultos na faixa dos 20 aos 40 anos. Eles, os não vacinados, são responsáveis ​​por 53 por cento das infecções e cerca de 34 por cento das hospitalizações 

 

Da Redação 

A Flórida está em alerta devido ao aumento em infecções e hospitalizações por Covid-19 – a maioria das internações de pessoas jovens. Segundo dados do “Departamento de Saúde da Flórida” na sexta-feira, o estado viu 110.477 novas infecções por coronavírus nos últimos sete dias, com média mais de 15.780 infecções diárias. É a primeira vez desde o início de janeiro que a Flórida ultrapassou 100.000 infecções em uma única semana. 

E de acordo com comunicado dos “Centros federais de Controle e Prevenção de Doenças” (CDC), a Flórida é responsável por quase uma em cada quatro novas infecções e hospitalizações no país. É o maior aumento nas admissões hospitalares desde o início da pandemia e um salto de quase 60% nas admissões em relação ao período de relatório anterior. 

“Estamos lidando com a variante delta, uma mutação que é muito mais infecciosa, se transmitindo a mais indivíduos e levando a complicações maiores”, disse a presidente da “Florida Hospital Association”, Mary Mayhew. 

Não é mais uma pandemia que afeta principalmente idosos da Flórida ou aqueles com doenças pré-existentes. Agora são os adultos mais jovens, mais saudáveis ​​e não vacinados que estão adoecendo. As infecções e hospitalizações na Nova Flórida estão sendo causadas por adultos na faixa dos 20 aos 40 anos, mostram dados estaduais. Eles são responsáveis ​​por 53 por cento das infecções e cerca de 34 por cento das hospitalizações.

O estado lidera o país com 22 por cento das quase 470.000 novas infecções por Covid-19 detectadas na semana passada, diz o CDC. Esse é o mesmo número de casos que os próximos três estados mais altos combinados. A Flórida também tem o dobro de infecções no Texas, o estado com o segundo maior número de casos. Ajustado pela população, a Flórida fica atrás apenas da Louisiana, com 481 casos por 100.000 residentes. 

 

Ondas pandêmicas

Os governos locais não podem mais usar as ferramentas que retardaram as ondas pandêmicas: promulgar ordens de emergência para exigir máscaras e distanciamento social. Em maio, o governador Ron DeSantis assinou uma ordem executiva anulando todas as ordens locais. O governador também assinou um projeto de lei aprovado pelo Legislativo restringindo a capacidade dos governos locais de emitir ordens de emergência. 

DeSantis se opõe à exigência de que as pessoas usem máscaras ou mostrem provas de que foram vacinadas e reiterou essa postura na sexta-feira, quando compareceu a um restaurante em Cape Coral. Seus apoiadores aplaudiram quando ele prometeu tentar impedir os distritos escolares de ordenar aos alunos que usem máscara na volta às aulas.  

“Há um movimento para tentar impor mais restrições ao povo americano”, disse ele. “Não haverá restrições e nem mandatos no estado da Flórida.”