Infectologistas alertam para os cuidados na virada do ano; evitar aglomerações 

Os cuidados na hora das celebrações para evitar contaminação, alertam as autoridades da saúde

Infectologistas pedem atenção das pessoas para os devidos cuidados nas celebrações da virada do ano no dia 31 de dezembro. Os casos da variante Ômicron cresce nos EUA, portanto, é necessário manter regras de distanciamento e o uso de máscara

Da Redação

Infectologistas nos EUA e em outros países alertam para que sejam evitadas aglomerações devido ao aumento de casos da variante Ômicron nas comemorações da virada do ano, no dia 31 de dezembro. A recomendação é para que as pessoas evitem aglomerações, o que às vezes é meramente impossível no calor da emoção. No entanto, há preocupação com pessoas que passaram o Natal com muita gente – o que deverá trazer consequências –, e que poderá provocar sinais do aumento de casos e internações pela nova variante, informam as autoridades de saúde.

O grande índice no aumento da propagação da doença é entre pessoas resistentes à vacina contra a Covid-19, o que poderia ter sido evitado, com o alerta insistente das autoridades de saúde. Todas as evidências, segundo os médicos, é para que seja contido um novo surto nos EUA, sobrecarregando ainda mais o setor da saúde.  

Segundo o infectologista brasileiro, Marcos Boulos, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), “quem passou Natal com muita gente provavelmente vai ter consequências. Estamos vendo reuniões com quatro a cinco pessoas em que todos estão se infectando, então é preciso tomar cuidado ainda.”

Boulos diz que, em um cenário em que boa parte da população já está vacinada com ao menos duas doses da vacina, é possível manter os pequenos encontros entre familiares e pessoas próximas que estejam imunizadas e seguindo os protocolos e cuidados do dia a dia, como usar máscaras e evitar aglomerações.

Não significa, porém, baixar completamente a guarda. “Provavelmente a Ômicron aumentará de maneira importante”, disse. “Apesar da não gravidade que ela tem mostrado em todos os lugares, o número de casos e a demanda por assistência médico-hospitalar deva aumentar bastante”, diz.

Na virada do ano

O próximo ano já chegará exigindo um esforço de todos. Quando o relógio marcar 0h do dia 1º de janeiro de 2022, evite aglomerações – principalmente em grandes concentrações de pessoas, alertam infectologistas. Segundo o Dr. Marcus Antônio Cyrillo, diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), “Esse vírus se propaga por gotículas respiratórias, secreções. E abraçando outras pessoas, colocando a mão no rosto delas, ou mesmo no seu rosto, você tem a possibilidade de transmitir o vírus”, completa.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, orienta às pessoas para que tomem os devidos cuidados, mesmo estando com máscara, evitando atitudes que possam comprometer a segurança de todos. A Ômicron é uma variante com maior proporção de transmissão, portanto, as celebrações do dia 31 de dezembro devem ser feitas com moderação.