Governo Biden investirá US$ 1 bilhão para conter a alta de preços da carne no país

Investimento trará alívio nos preços da carne nos supermercados, aposta equipe do governo Biden

O governo de Joe Biden anunciou que o investimento de US$ 1 bilhão para conter a alta de preços da carne nos EUA irá aumentar a concorrência no setor e promete intensificar a regulamentação e a aplicação das leis anticompetição

Da Redação

Para conter a alta de preços da carne nos EUA o governo de Joe Biden anunciou o investimento de US$ 1 bilhão em fundos do “American Rescue Plan” para aumentar a concorrência no setor e promete intensificar a regulamentação e a aplicação das leis anticompetição. Em contrapartida, especialistas alegam ser improvável que a mudança ofereça alívio no supermercado, e que reduza os preços no curto prazo.

Divulgou a Casa Branca que o investimento foi projetado para estimular a concorrência na indústria de processamento de carne, que é dominada por um pequeno número de grandes empresas. Para isso, inclui subsídios, empréstimos, dinheiro para treinamento, novas regras de rotulagem e maneiras de os agricultores relatarem preocupações anticompetitivas.

Segundo o governo americano, a concentração no setor é a principal responsável pela alta dos preços ao consumidor. Mais competição levará a preços mais baixos. “Os grandes processadores de carne, em virtude da pouca concorrência, têm mais poder de mercado para definir seus preços”, disse um alto funcionário da Casa Branca.

É fato que a grande maioria do mercado de processamento de carnes é controlada por apenas alguns fornecedores. Mas é assim há décadas, disse James Mitchell, professor assistente do “Departamento de Economia Agrícola e Agronegócio” da Universidade de Arkansas.

“Tem sido quase o mesmo nos últimos 20 anos”, disse James, argumentando que os consumidores teriam notado os aumentos de preços bem antes de 2020. Os preços da carne bovina em novembro, por exemplo, subiram 20,9% em relação ao ano anterior, de acordo com o “Departamento do Trabalho” dos EUA.

“São os desafios de trabalho induzidos pela pandemia. São os problemas de gestão da cadeia de abastecimento logísticos induzidos pela pandemia”, acrescentou Mitchell.

“O maior desafio”

“O trabalho continua sendo o maior desafio”, disse Sarah Little, porta-voz do “North American Meat Institute”, grupo comercial que representa processadores de carnes e aves, por e-mail. “Nossos membros de todos os tamanhos não podem operar em sua capacidade porque não podem empregar uma força de trabalho estável e de longo prazo.”

A maior demanda também levou a preços mais altos, disse Adam Speck, economista sênior de pecuária da IHS Markit. “Os aumentos de preços são resultado de uma demanda excepcional por carne em casa durante os efeitos da Covid”, disse ele.

Além disso, “as restrições da Covid nas fábricas (aumento das medidas de distanciamento social e protocolos de segurança desde a Covid) estão diminuindo as velocidades da linha, bem como aumentando os custos dos processadores de carne”, e contribuindo para preços mais altos nas prateleiras.

No geral, o plano da Casa Branca de “uma virada de jogo”, poderá levar a uma indústria mais competitiva. As ações do governo “ajudarão no médio prazo”, disse o alto funcionário da Casa Branca. “Será que vai demorar um pouco para os processadores menores e em crescimento que pretendemos ajudar a ganhar participação no mercado? Sim, esse é claramente o caso.”