Trump libera entrada de brasileiros, mas equipe de Biden diz que manterá restrições.

Medida de flexibilização para brasileiros é contestada pela equipe do presidente Joe Biden

 

A medida de flexibilização para brasileiros entraria em vigor dia 26 de janeiro, mesma data em que passa a valer exigência de testes negativos para todos os visitantes internacionais que desejarem entrar nos EUA. Equipe de Joe Biden diz que momento é de apertar as restrições, e não de flexibilizá-las

 

Da Redação

Trump suspende restrições de viagem que incluem o Brasil, mas porta-voz de Biden diz que novo governo não flexibilizará a medida, que entraria em vigor dia 26 de janeiro, mesma data em que passa a valer exigência de testes negativos para todos os visitantes internacionais que desejarem entrar nos EUA. Equipe de Joe Biden diz que momento é de apertar as restrições, e não de flexibilizá-las.

Momentos após a Casa Branca publicar a ordem flexibilizando as restrições, o porta-voz do futuro governo Biden, Jen Psaki, disse que a nova gestão não levará adiante a reabertura. Ele disse que, “com a pandemia piorando, e mais variantes contagiosas emergindo ao redor do mundo, não é hora de cancelar restrições às viagens internacionais. Planejamos apertar as medidas de saúde pública sobre viagens internacionais para mitigar a transmissão da Covid-19”, completou Psaki.

A restriçao de entrada nos EUA de viajantes provenientes do Brasil e outros países gerou um impasse entre o presidente Donald Trump e a equipe do democrata Joe Biden, que toma posse no comando da Casa Branca nesta quarta – feira, a partir do meio-dia.

Vale ressaltar que desde 29 de maio de 2020, pessoas que tenham estado no Brasil num período de 14 dias antes de tentar entrar nos EUA têm sua admissão negada. A restrição não é aplicada a pessoas que residam nos EUA ou sejam casadas com um cidadão americano ou que tenham residência permanente no país. Filhos ou irmãos de americanos ou residentes permanentes também podem entrar, desde que tenham menos de 21 anos.

Membros de tripulações de companhias aéreas ou pessoas que ingressem no país a convite do governo dos EUA também estão isentas da proibição.

 

 

 

 

 

.