Projeto humanitário constrói casas para famílias na Guatemala

Projeto humanitário constrói casas para famílias na Guatemala

O Projeto Habitação para Humanidade, apoiado pela Amway, reúne empresários que constroem casas para famílias em condições de extrema pobreza. O empresário Volnei Rodrigues fala que 128 casas já foram construídas na Guatemala, no que hoje é conhecida como “Amway Colony”, e aponta a República Dominicana para 2021

Edição de janeiro/2020 – p. 36

Projeto humanitário constrói casas para famílias na Guatemala

O trabalho humanitário denominado Habitação para Humanidade, é um projeto que ajuda às famílias carentes em vários países. Um grupo de amigos empresários, sócios da Companhia Multinacional Amway, liderados por Tim Foley (Ex-jogador do famoso “time dos sonhos” Miami Dolfins, e um dos maiores empresários Amway do mundo), construíram ao longo de 12 anos 128 casas, com apoio financeiro da Amway, Tim Foley e empresários voluntários, que não medem esforços para atender a demanda de crianças Guatemaltecas que vivem na linha de extrema pobreza. Engajados nesta campanha, os empresários Volnei Rodrigues, sua esposa, Walkíria Rosa, Roberto de Freitas e sua esposa Karine Santos, tem acompanhado de perto a construção de casas, literalmente colocando a mão na massa, ajudando no processo das obras. “Construímos em média uma casa por semana, durante o período que permanecemos na Guatemala, contando com a ajuda de dois pedreiros e dois ajudantes, além de membros da família beneficiada”, explica Volnei.

“No início do projeto de construção de casas na Guatemala, foi muito difícil porque construíamos em terrenos da própria família, que normalmente ficavam em áreas acidentadas, o que dificultava o nosso trabalho. Agora, as construções têm sido feitas em uma área que a Amway adquiriu na Guatemala com participação de Tim Foley, a Amway Colony, para melhor acomodar as famílias”, ressalta Volnei.

O empresário relata que o período em que permanece na Guatemala, as despesas com alimentação, estadia, e material de construção das casas entre outros gastos, “são do nosso próprio bolso. Somos voluntários e estamos lá para levantar paredes, carregar blocos de cimento, virar massa, carregar terra etc. Selecionar as famílias beneficiadas é tarefa do projeto. Eles tem o cuidado em selecionar famílias, que devem ter crianças e pessoas idosas, que são requisitos fundamentais”.

Entretanto, acrescenta Volnei que para a família receber os benefícios da casa pronta, sem gastos com mão de obra, exige empenho, que participe do processo de construção. “Ninguém ganha à casa de graça, é preciso que paguem mensalmente trinta dólares, durante quinze anos, segundo informação do pessoal do Habitat for Humanity. A casa tem dois quartos, sala, cozinha e banheiro. As casas são feitas de alvenaria, com telhado de zinco e são providenciadas rede de esgoto pronta, e água potável, comenta.

Segundo Volnei, na “Amway Colony” vivem atualmente entre 300 a 400 crianças com um teto, e com dignidade de vida, que antes viviam em condições subumanas. Além das construções das casas, também ajudamos na compra de roupas e calçados, porque nos damos conta que muitas crianças, a maioria delas, iam para a escola descalças. Creio que por ver nosso empenho em ajudar a melhorar as condições de moradias locais e também a escola perto da colônia, pintando, arrumando classes quebradas, envolvemos as crianças nesta campanha de cuidar do estabelecimento, impactando sua autoestima. Também por iniciativa nossa, compramos computadores e impressoras para uma escola de preparação de futuros professores, que fica na região próximo à Colônia. Com o auxílio do Prefeito local, o qual se tornou nosso amigo, e que as vezes nos visitava na obra, logramos instalar a internet neste local.

Indagado sobre quem são essas famílias beneficiadas com a construção de casas, entre outros benefícios, disse o empresário que são trabalhadores da área rural, que carecem de ajuda pelas condições em que vivem, e que vivem os filhos. “Quando construímos uma casa, geralmente os filhos e a mãe vêm nos ajudar no trabalho, pois faz parte do projeto que 2 membros da família construam junto. Mães, pais e as crianças construindo conosco, então eles colocam amor e empenho porque sabem que vão desfrutar destes benefícios. E quando voltamos no ano seguinte, às casas estão pintadas, com jardins, o que significa que tudo foi feito com muito amor”, comemora Volnei.

Projeto humanitário constrói casas para familias na Guatemala

Às cinco da manhã

“Acordamos às cinco horas da manhã e vamos para a obra, todos os dias, durante o período em que ficamos no país. É um trabalho braçal, que exige empenho, e a família que nos acompanha faz isso com muito amor porque sabe que em uma semana terá o seu teto. Um trabalho humanitário de extrema importância e os empresários que nos acompanham se emocionam.

Normalmente levam os filhos adolescentes para que vejam o nosso trabalho e que tenham consciência de uma realidade difícil, de muita pobreza, mas, ainda assim, as pessoas estão alegres, dispostas a somar porque sabem que é um passo para tirá-las da linha da pobreza absoluta”, acrescenta.

“Hoje as crianças na Guatemala vão para escola de sapatos porque botamos sapatos nelas. Calçamos todo mundo. Fizemos muita obra social naquele país, e aprendemos a dar valor na vida”, celebra Volnei.

Para 2021, o empresário aponta para a República Dominicana, onde o “Projeto Habitação para Humanidade” desenvolverá trabalho de ajuda às famílias e crianças carentes daquele país. “No momento estão sendo avaliados os esquemas se seguranças dos empresários voluntários que irão para aquele país. Quando estivemos na Guatemala, o esquema de segurança foi importante. Os próprios moradores nos ajudaram. Ficamos seguros porque o pessoal do povoado nos agradecia muito, e eles nos protegiam. Falamos espanhol e o idioma não foi problema. Lembrando que a Guatemala é um país com vulcão e terremotos”, que já destruiu áreas do país várias vezes…mas somos abençoados por poder ajudar e só temos boas lembranças de nossas idas lá.

“Na Guatemala, durante o período de construções da Amway Colony, chegamos chegamos a ser 100 empresários que todo ano viajavam para a construção de moradias naquele país. É importante ressaltar que somos um grupo de empresários independentes da Amway. E cada empresário doa certa importância para ajudar na construção das casas. É uma forma de retribuir o que temos e quão abençoado somos de viver em um país de abundância como os Estados Unidos, e poder contribuir com pessoas pobres, ajudando para que possam ter suas próprias casas.

Esperamos poder levar avante, este ensinamento vindo de Tim Foley, que já inspirou outros empresários de seu grupo em outros Aires latinos a servir e beneficiar outros. Isso é maravilhoso. Fazer o bem para o nosso semelhante é uma dádiva”, complementou o empresário.