Pesquisadores de Sydney fazem importante descoberta sobre o coronavírus COVID-19

Pesquisadores de Sydney fazem importante descoberta sobre o coronavírus COVID-19

Edição de fevereiro/2020 – p. 30

Pesquisadores de Sydney fazem importante descoberta sobre o coronavírus COVID-19

Especialistas em saúde em todo o mundo poderão conter a disseminação do novo coronavírus COVID-19 entre a população mais rapidamente, após um avanço da Universidade de Sydney e de pesquisadores do governo australiano.

Importante destacar que a nomenclatura anteriormente utilizada, 2019-nCoV, foi oficialmente alterada para COVID-19 pela Organização Mundial de Saúde no dia 11 de fevereiro. Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, o ato de nomear é fundamental para prevenir o uso de outros nomes que podem ser imprecisos ou gerar estigma.

A equipe de especialistas em saúde e médicos da Universidade de Sydney e do departamento de saúde de New South Wales (NSW), na Austrália, trabalhando continuamente, conseguiram cultivar o vírus vivo do COVID-19 para ajudar a diagnosticá-lo e conter sua propagação.

Os pesquisadores usaram o laboratório P4 de biossegurança de última geração para cultivar o vírus vivo de pacientes de NSW.

O ministro da saúde de NSW, Brad Hazzard, disse: “A menos que os médicos entendam a epidemiologia da doença – como ela se comporta e se replica – eles não podem desenvolver testes de diagnóstico confiáveis para identificá-la e contê-la.

“Uma equipe de pesquisadores de elite de NSW conseguiu isso realizando o sequenciamento do genoma do vírus e aumentando o vírus vivo de pacientes reais, ao invés de usar materiais sintéticos”.

A equipe de 10 cientistas e patologistas do Instituto de Patologia Clínica e Pesquisa Médica da NSW Health Pathology e médicos da Universidade de Sydney e do Westmead Hospital espera que os esforços apoiem a corrida para desenvolver um tratamento e vacina eficazes.

O professor Dominic Dwyer, da Faculdade de Medicina e Saúde da Universidade de Sydney, que é o Diretor de Patologia em Saúde Pública do departamento de saúde de NSW, disse que a equipe trabalha sem parar para cultivar o vírus.

“Este trabalho de ponta expandirá o acesso a testes de diagnóstico mais rápidos e confiáveis para pacientes infectados, não apenas aqui em NSW, mas em todo o mundo”, disse o professor Dwyer.

“Ser capaz de cultivar o novo coronavírus com amostras de pacientes de NSW, em vez de tentar imitá-lo de amostras sintéticas, é um grande avanço. Estamos orgulhosos de poder compartilhar nossa descoberta com a Organização Mundial da Saúde e com pesquisadores e médicos internacionais, para que juntos possamos ajudar a salvar vidas.

Fonte: NEWS.MED.BR, 2020.