O que é Gastrite?

O que é Gastrite?

Edição de maio/2018 – pág. 36

O que é Gastrite?

A gastrite é uma inflamação do estômago que deve ser tratada rapidamente para evitar suas possíveis complicações, como úlcera gástrica e o câncer no estômago.

As principais causas são:

  • Infeção por bactérias- Helicobacter pylori;
  • Fumo;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Consumo frequênte de analgésicos como Aspirina e Advil;
  • Estresse;
  • Comidas apimentadas;
  • Doenças autoimunes e drogas –  estes também são fatores de risco para o desenvolvimento da doença;
  • Idade Avançada – A revestimento do estômago tende a enfraquecer com a idade;
  • Outras doenças e condições. – a gastrite pode estar associada com outras condições médicas como HIV/AIDS, doença Crohn e infecções parasitárias.

Tipos de Gastrite

Gastrite crônica: A bactéria que causa a gastrite crônica é a Helicobacter pylori, que se instala e permanece bem nos ambientes ácidos e, por isso, destrói a mucosa que protege o estômago e causa a doença. Pode ser diagnosticada por um exame chamado endoscopia, que visualiza como está o estômago, na maioria dos casos é feito sob anestesia.

A gastrite crônica é uma consequência do contato da mucosa com elementos irritantes e infecções bacterianas virais, é mais difícil de ser identificada precocemente, pois dificilmente aparece algum sintoma e o paciente só consegue descobrir a doença quando se tem uma crise e passa por alguns exames médicos.

Gastrite aguda: Pode ocorrer sangramento interno e dores praticamente insuportáveis. Com uma relação de sintomas onde o paciente consegue identificar a possível existência do problema e procurar ajuda médica. Geralmente o paciente vai sentir dores de estômago, e na prática, a queixa é de dor na boca do estômago, associadas à outros sintomas.

Gastrite nervosa: A gastrite nervosa provoca sintomas parecidos com os da gastrite clássica (aguda), como azia, sensação de estômago cheio e vômitos, mas que podem surgir em situações de irritabilidade, medo e ansiedade.

Sintomas

A dor da gastrite é circunscrita, começa na região epigástrica, logo abaixo do esterno, osso vertical situado na parte anterior do tórax. Na prática, a queixa é de dor na boca do estômago, que pode irradiar-se para outras regiões do corpo e confundir-se com a dor do infarto, por exemplo.

A dor da gastrite pode vir acompanhada de azia ou queimação, se houver retorno do suco gástrico por defeito no esfíncter, uma estrutura muscular que controla a comunicação entre esôfago e estômago. A azia costuma piorar quando a pessoa se deita depois de refeição mais volumosa ou rica em gorduras.

Perda do apetite, náuseas e vômitos também são sintomas de gastrite, assim como a presença de sangue nas fezes e no vômito.

Diagnóstico

Histórico clínico e endoscopia alta (exame que permite visualizar a mucosa do estômago) são fundamentais para o diagnóstico da gastrite. Isso não exclui a necessidade de realizar uma biópsia, isto é, de retirar fragmentos da mucosa estomacal para análise mais minuciosa no microscópio.

Tratamento

Antiácidos: Hidróxido de alumínio, Carbonato de cálcio ou Hidróxido de magnésio, pois aumentam o pH gástrico, aliviando as lesões sobre a mucosa e diminuindo a inflamação do estômago.
Antibióticos: Claritromicina, Amoxicilina ou Metronidazol são usados quando a gastrite é provocada pela infecção de H. Pylori.

Protetores gástricos: Omeprazol, Nexium, Pariet ou Tecta são utilizados para criar uma barreira protetora no estômago que diminui a irritação da membrana do estômago, especialmente no caso de úlcera.

Remédios que diminuem a quantidade de ácido: Ranitidina ou Cimetidina bloqueiam o funcionamento das células do estômago que produzem ácido, reduzindo a sua quantidade no estômago.

Recomendações

  • Respeite os horários das refeições. Separar algum tempo para café da manhã, almoço e jantar tranquilos não é luxo, é necessidade;
  • Prefira fazer pequenas refeições ao longo do dia a fazer uma grande refeição depois de muitas horas em jejum;
  • Mastigue bem os alimentos, pois a digestão começa na boca;
  • Dê preferência a frutas menos ácidas, verduras e carnes magras;
  • Fique longe do cigarro;
  • Evite tomar analgésicos, café, bebidas alcoólicas e as que contêm cafeína;
  • Procure um médico e siga suas recomendações se tiver azia, má digestão e sensação de estômago cheio depois de ingerir pequenas porções de alimentos.