México transfere imigrantes para conter invasão de caravanas com destino aos EUA

Autoridades do México tentam conter caravanas de imigrantes que almejam entrar nos EUA

 

Caravanas de imigrantes chegam todos os dias ao México, rumo à fronteira com os EUA, com intenções de entrar em terras americanas. Para tentar conter a invasão, autoridades estão transferindo imigrantes para outros estados do país, evitando o acúmulo de pessoas em espaço precário

 

Da Redação

Em virtude do contingente de imigrantes que pretendem seguir para a fronteira dos EUA e México, presos na cidade mexicana de Tapachula, na fronteira com a Guatemala, o “Instituto Nacional de Migrações (INM)” vai transferir parte deles para outros estados, para regularizar a sua estadia lá. Segundo autoridades locais, os imigrantes dormem há dias nas proximidades de um estádio, agora convertido em centro de atendimento, aguardando o INM auxiliá-los e transferi-los para outros estados em todo o país para continuar seus procedimentos e obter um cartão de visitante por motivos humanitários.

E diante do impasse de tantas famílias no local – e a possibilidade de chegada de mais caravanas com imigrantes –, autoridades querem resolver o problema o quanto antes devido às condições precárias em que se encontram os inesperados visitantes.

Informou o INM que integrantes de uma nova caravana que saiu de Honduras no último dia 18 de novembro, está a caminho de Tapachula, o que poderá agravar ainda mais a situação por lá. Uma marcha que inclui homens, mulheres e crianças – todos com destino aos EUA.

Enquanto isso, nas proximidades do estádio de Tapachula, a situação é precária, têm crianças e mulheres espalhados pelo local. Os imigrantes improvisaram barracas, com varas e cobertores, para se proteger do sol, pois ficaram sem dinheiro para pagar o aluguel de uma casa.

Entre os imigrantes, os haitianos ocupam 70% dos procedimentos perante as autoridades de imigração e, em protesto, manifestaram-se em diversas ocasiões, agravando ainda mais a situação.

Héctor Martínez Castuera, diretor-geral da “Coordenação de Escritórios de Representação do INM”, disse que desde quarta-feira à noite famílias de imigrantes começaram a ser transferidas para 10 estados do país. Um total de 15 caminhões partem todos os dias com migrantes do Haiti, América Central e outros países para enfrentar a crise migratória que existe em Tapachula há meses.

Por sua vez, os imigrantes pediram ao oficial sénior do INM que enviasse a Guarda Nacional para ajudar a organizar estas transferências por nacionalidade, evitando assim criar o caos – cerca de 300 ou 400 pessoas são transportadas todos os dias.