Governo japonês proíbe a presença de público nas “Olimpíadas de Tóquio”

Aumento de casos de Covid-19 em Tóquio compromete a presença de público nas Olimpíadas

 

Ficou decidido que não haverá público nos recintos onde serão realizados os jogos das “Olimpíadas de Tóquio”, após ter sido decretado um novo estado de emergência de Covid-19 na cidade. A ministra responsável pelos Jogos Olímpicos, Tamayo Marukawa, fez pronunciamento, oficializando esta decisão

 

Da Redação

As “Olimpíadas de Tóquio 2020” –  de 23 de julho a 8 de agosto – não vão ter público. A decisão foi anunciada horas depois de o Governo japonês ter decretado um novo estado de emergência na capital japonesa, entre a próxima segunda-feira e o dia 22 de agosto, devido à pandemia.

“Na reunião de cinco partidos com o COI, o IPC, o Comitê Organizador de Tóquio 2020, o governo de Tóquio e o governo nacional, foi decidido que não haveria espectadores nos recintos de Tóquio, depois de ter sido decretado um novo estado de emergência na cidade de Tóquio”, anunciou a ministra responsável pelos Jogos Olímpicos, Tamayo Marukawa.

Em junho, a organização de Tóquio 2020 tinha autorizado a presença de público residente no Japão, mas com uma redução de 50% da capacidade de cada recinto, num limite máximo de 10 mil pessoas.

“Acho que podemos estar todos muito satisfeitos com o fato de medidas mais rígidas terem sido estabelecidas para proteger todas as pessoas, o povo japonês e os participantes nos jogos”, sublinhou o presidente do COI, Thomas Bach.

Nas Olimpíadas devem participar mais de 10 mil atletas de todo o mundo, o que obriga a medidas rígidas, nomeadamente na Cidade Olímpica. A capital japonesa registou cerca de 900 novos casos de coronavírus esta quinta-feira, após ter ultrapassado essa barreira no dia anterior.