Expectativa do turista brasileiro para reabertura do Aeroporto Internacional de Orlando

Famílias no Brasil aguardam atentas liberação para o desembarque no Aeroporto de Orlando

 

Ainda não há estimativa para que voos vindos do Brasil possam desembarcar no Aeroporto Internacional de Orlando. A agência federal de saúde pública dos EUA mantém o alerta vermelho para o turista estrangeiro. Afinal, quando o brasileiro será liberado? O Site “Nossa Gente” conversou com o Agente de viagem em Poços de Caldas (MG), Rafael Acconcia, e com Marcio Alex Cicarini, funcionário do Aeroporto de Orlando  

 

Da Redação

Enquanto a agência federal de saúde pública dos EUA mantiver o alerta vermelho para que o turista estrangeiro não desembarque em Orlando – Aeroporto Internacional de Orlando está fechado para o Brasil –, com os índices de contaminação da Covid-19, que mudou a dinâmica de visitantes, em terras brasileiras inúmeras famílias, incluindo-se muitas crianças, com viagem programada para a terra da Magia, ficaram frustradas e aguardam ansiosas pela liberação. O decreto de Proibição assinado pelo presidente Donald Trump especifica que até o dia 31 de dezembro de 2020 está vetada a entrada de turista brasileiro no país, com a ressalva de que, ocorrendo um aumento de casos da doença, o prazo poderá se estender por mais 30 dias – e assim sucessivamente.

Rafael Acconcia, CEO da “Royal Viagens”, em Poços de Caldas (MG), informa que há um contingente expressivo de turistas na cidade esperando para embarcar para Orlando, pacotes que havia sido vendido antes da pandemia. “O momento é de muita expectativa para a reabertura do aeroporto de Orlando para os brasileiros. Temos pacotes vendidos à famílias, casais e grupos de amigos, com reservas de hotel e ingressos para os parques, desde o mês de  marco, até este mês de novembro, e tivemos cancelar tudo”.

“A pandemia mudou esse panorama, e hoje a esperança é de que essas viagens para Orlando possam ser retomadas – temos reprograma-las. É o sonho de muitas crianças da região de visitar a Disney, e as demais atrações da cidade de Orlando. Os voos para residentes e para quem tem o green card estão sendo liberados, gradativamente. É um bom sinal e estamos na expectativa por aqui”, informa Rafael.

 

Aeroporto cumpre normas de restrições 

Marcio Alex Cicarini, ao lado da esposa, relata que no Aeroporto Internacional de Orlando, que normalmente recebia turistas de várias partes do mundo – incluindo um contingente expressivo de brasileiros –, a realidade é bem diferente no momento. O “Site Nossa Gente” apurou que a situação segue em compasso de espera, com total restrição para os viajantes do Brasil.

Segundo Cicarini, que é funcionário do Aeroporto de Orlando – setor de Compras e Almoxarifado –, às portas de entrada para o turista do Brasil continuam fechadas, de  acordo com o decreto de Donald Trump.

“Diante da pandemia da Covid-19, a dinâmica de funcionamento dos estabelecimentos comerciais do mundo inteiro está bem diferente do que a gente estava acostumado até o começo de 2020. E quando o assunto é Orlando, estamos falando de parques temáticos com grandes multidões, fluxo intenso de pessoas vindas de diferentes lugares e, por isso, tudo teve que ser adaptado para a reabertura que começou bem restrita. E quanto ao aeroporto de Orlando, não há previsão até o momento de reabertura para os visitantes do Brasil, continua tudo parado”, comenta Cicarini,

“Ainda não vi, por exemplo, voos da Latam, da Gol aqui no aeroporto. O setor internacional está aberto apenas para os voos da  ‘JetBlue Airways’ e “Aeroméxico”. O que estou sabendo é que Nova York está aberta para receber os brasileiros, mas com restrições. Estamos atravessando um momento de mudanças políticas no país, com a vitória de Joe Biden. Temos hoje um aeroporto dividido entre funcionários republicanos e democratas, denotando uma nova realidade e temos que nos adaptar”, ressalta.

“O turista brasileiro deve aguardar mais um pouco, e acredito que as medidas cabíveis estão sendo tomadas para que os voos vindos os Brasil possam ser aceitos novamente e que todos viajem com segurança”, pondera Marcio.