DeSantis culpa Biden e imigrantes na fronteira pelo aumento da Covid na Flórida 

Ron DeSantis foi contundente ao responsabilizar Biden e os imigrantes pelo aumento da Covid

 

O governador Ron DeSantis revelou uma nova rodada de bodes expiatórios pelo aumento da Covid na Flórida  ao culpar o presidente Joe Biden, os imigrantes na fronteira e o que ele chama de “histeria” da mídia 

 

Da Redação

O governador Ron DeSantis falhou em proteger os habitantes da Flórida da Covid-19. E em vez de apoiar medidas de saúde pública de bom senso, guiadas por especialistas para lidar com variantes altamente comunicáveis, apostou na retórica da marca republicana sobre a “liberdade de escolha” em relação à máscara e vacinas que salvam vidas. Esta, a avaliação dos profissionais da área da saúde no Estado diante da postura do governador.

Lutando por credibilidade enquanto a Covid assombra a Flórida, DeSantis, que busca a reeleição no próximo ano e também está de olho na presidência, revelou uma nova rodada de bodes expiatórios para culpar o presidente Joe Biden, os imigrantes na fronteira pelo aumento de casos de infecções no Estado, e o que ele chama de “histeria” da mídia.

Falando à eleitores influenciados, DeSantis acusou Biden de ser o facilitador da pandemia ao manter o que ele afirma ser uma fronteira insegura com o México.

O governador diz que são os imigrantes que cruzam a fronteira que estão espalhando as variantes. “Ele não está bloqueando o vírus”, disse DeSantis sobre Biden. “Está ajudando a promovê-lo.”

A Flórida continua liderando em casos de Covid e hospitalizações, quebrando a maioria dos recordes estatísticos de coronavírus que narram à doença e o sofrimento dos residentes que a sofreram e continuam a sofrer.

Segundo infectologistas, não há nada mais doloroso e enfurecedor do que ver casos de crianças infectadas com a variante delta mortal em hospitais da Flórida, mais do que em qualquer outro estado.

Mais uma vez, dizem os médicos, que o governador não oferece nada além de desculpas e conversas políticas para disfarçar sua violação de dever. Alegam que DeSantis não dá a mínima para todos os floridianos, e que ele só se preocupa em excitar sua base para distraí-la de seu fracasso.

Esta não é a primeira vez que DeSantis usa a carta étnica para distrair de seu manejo incorreto do vírus. Em junho de 2020, depois de reabrir o estado às pressas, culpou o aumento diário previsível e alarmante de infecções na agricultura e nos diaristas “principalmente hispânicos”.

DeSantis também não tinha evidências ou dados de rastreamento de contato neste momento para apoiar sua afirmação xenófoba, mas apontar, de sua sede em Tallahassee, para uma das populações mais humildes e vulneráveis ​​da Flórida .