DeSantis suspende ordem emergencial da Covid na Flórida. Prefeitos contestam.

Governador Ron DeSantis polemiza ao suspender ordens de emergência da Covid no estado

 

“Abraçamos as vacinas, abraçamos a ciência”, disse o governador da Flórida, Ron DeSantis, durante entrevista, após suspender todas as ordens de emergência da Covid-19 em todo o estado. Preocupados, prefeitos contestam a decisão

 

Da Redação

O governador da Flórida, Ron DeSantis, suspendeu todas as ordens de emergência da Covid-19 em todo o estado. Em entrevista coletiva em São Petersburgo, o republicano disse que está suspendendo as ordens locais sob seu poder executivo. Ressaltou também que assinou uma ordem executiva invalidando todas as ordens de emergência locais restantes, que entrarão em vigor em 1º de julho. Em contrapartida, prefeitos ficaram insatisfeitos com a suspensão das ordens de emergência locais.

“Acho que essa é a coisa baseada em evidências a se fazer”, disse DeSantis. “As pessoas que estão dizendo que precisam estar policiando pessoas a essa altura, se diz isso, é porque não acreditam nas vacinas, não acreditam nos dados e não acreditam na ciência. Abraçamos as vacinas, abraçamos a ciência. ”

Um projeto de lei assinado pela DeSantis, que também entrará em vigor em 1º de julho, limitará o tempo que um governo local pode fechar empresas e escolas. O governador republicano mencionou outros estados onde restrições e mandatos de máscara permanecem em vigor, argumentando que alguns deles não são eficazes.

“Minha mensagem é que as vacinas protegem a todos. Seja vacinado e  viva sua vida normalmente porque você está protegido. Você não precisa se irritar sob restrições infinitas”, enfatiza DeSantis.

A ordem de DeSantis não impede que uma empresa privada aplique suas próprias restrições, embora o projeto proíba as empresas de exigirem os chamados “passaportes de vacina”.

 

Preocupação de prefeitos

Prefeita Daniella Levine Cava – Nem todos os prefeitos ficaram satisfeitos com a suspensão das ordens de emergência locais. O prefeito do condado de Broward, Steve Geller, um democrata, em entrevista coletiva criticou a medida.

“Parece-me que, em virtude desta ordem, o governador DeSantis está emitindo uma ordem executiva dizendo que a crise da Covid-19 acabou na Flórida. Espero que ele esteja correto e eu errado”, disse Geller. “Acredito que ainda precisamos ser cuidadosos e ter certas reações limitadas de bom senso para garantir que a crise permaneça sob controle.”

Muitos lugares, incluindo Miami-Dade e Broward, suspenderam as restrições às atividades ao ar livre. Alguns ainda exigem o uso de máscara facial e o distanciamento físico em ambientes internos, mas pouco fazem para fazer cumprir essas regras, em grande parte porque o estado não permite que eles recebam multas.

Geller disse que sua equipe jurídica estava revisando a ordem do governador para ter certeza de que ele tinha autoridade, embora ele dissesse que provavelmente sim. “Estou preocupado com as ações do governador, me parece, falando pessoalmente, que isso demonstra que ele parece se preocupar mais com a política do que com a segurança pública no estado da Flórida”, disse Geller.

A prefeita de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, também expressou sua preocupação. “Estou profundamente preocupada com esta decisão. Ainda estamos em uma emergência de saúde pública e nossa economia não se recuperou totalmente da crise. Menos da metade de nossos residentes foram vacinados e enfrentamos uma ameaça crescente de variantes”, disse em um comunicado.

“Exorto nossa comunidade a continuar usando o bom senso para prevenir a propagação do vírus e, o mais importante, para ser vacinado – nosso melhor e único caminho a seguir para realmente colocar a pandemia para trás”, determina a prefeita.