Casa Branca confirma Biden na disputa à reeleição presidencial em 2024

Joe Biden irá mesmo concorrer à reeleição em 2024, confirma a Casa Branca durante coletiva

A porta-voz, Jen Psaki, disse que o presidente Joe Biden disputará a reeleição em 2024. O anúncio indica que o ex-presidente Donald Trump terá outro embate acirrado frente ao seu mais poderoso adversário democrata

Da Redação

Um dado surpreendente foi confirmado pela porta-voz presidencial, Jen Psaki, em sua coletiva de imprensa em resposta a perguntas sobre dúvidas dentro do partido do presidente: Joe Biden concorrerá à reeleição em 2024. O anúncio indica que o ex-presidente Donald Trump, que promete voltar nas próximas eleições presidenciais, terá pela frente mais um embate acirrado frente ao seu mais poderoso adversário democrata.

______continua após a publicidade_______

seguro

Segundo Jen Psaki, Biden tem “toda a intenção” de buscar a reeleição em 2024 em meio a relatórios de debate interno entre os democratas sobre se ele deve ser o candidato para a próxima eleição presidencial, informou a Casa Branca na segunda-feira.

Sem rodeios, e mostrando objetividade nas respostas, a porta-voz presidencial deixou clara a posição de Biden quanto tentar um segundo mandato. “O presidente tem toda a intenção de se candidatar à reeleição”, disse.

Nas últimas semanas, aumentaram os rumores de discussões dentro do Partido Democrata sobre a possibilidade de Biden estar presente em 2024 devido à queda de sua popularidade e seus 79 anos, o que concorda com o mandato de maior idade na história dos EUA.

Psaki rejeitou a informação e garantiu que Biden e sua equipe estão focados em trabalhar “agora” para “o que o povo americano escolheu há pouco mais de um ano”, principalmente em controlar a pandemia e melhorar a situação econômica.

A escolha lógica para suceder a Biden seria Kamala Harris, já que muitos vice-presidentes foram candidatos presidenciais na história do país, mas a primeira mulher a chegar à vice-presidência viu seu perfil público diminuir e sua popularidade também diminuir.

Antes, porém, é a próxima grande batalha eleitoral dos EUA, a metade do mandato legislativo do próximo ano.

Nessas eleições, o partido democrata enfrenta a possibilidade de perder a estreita maioria que agora detém tanto na Câmara dos Deputados – 221 cadeiras em comparação com 213 republicanos – quanto no Senado, onde ambos os partidos têm 50 representantes, embora o vice-presidente Harris tenha o desempate voto.



____________________publicidade___________________

seguro

anuncie