Biden discursa na Flórida e alerta sobre descaso de Trump com idosos

Joe Biden: “A este presidente importa mais o mercado financeiro do que os idosos”

 

Em visita a Flórida nesta terça-feira  –  um dos Estados mais importantes na corrida presidencial –, de olho no eleitorado idoso, Joe Biden discursa em evento de campanha e faz duras críticas ao adversário republicano. “O único idoso que importa para Donald Trump é Donald Trump”, alfinetou o democrata

 

Da Redação

O presidente republicano Donald Trump está sendo desafiado nas urnas pelo candidato do Partido Democrata, Joe Biden, que é mais conhecido por ter sido vice-presidente de Barack Obama. Ele atua na política americana desde os anos 1970, e pesquisas nacionais são um bom indicativo de quão popular um candidato é no país. Biden tem liderado contra Trump segundo apontam as pesquisas, na maior parte deste ano. E quem está à frente? No momento, pesquisas nos Estados decisivos são animadoras para Biden, mas ainda há muito para acontecer. As pesquisas sugerem que Biden tem vantagens em Michigan, Pensilvânia e Wisconsin – três Estados industriais vencidos por seu rival por margens menores que 1% na campanha vitoriosa de 2016.

Em visita a Florida nesta terça-feira – um dos Estados mais importantes na corrida presidencial –, de olho no eleitorado idoso, Joe Biden discursa em evento de campanha em Miramar. O candidato democrata disse a eleitores que Donald Trump falhou no combate à pandemia de Covid-19. Lembrando que o eleitorado acima de 65 anos pode decidir votação na Flórida, estado considerado essencial na corrida pelos 270 votos no Colégio Eleitoral.

É importante lembrar que no sistema do colégio eleitoral usado pelos EUA para eleger seu presidente, cada Estado recebe um número de votos baseado no tamanho da sua população. Um total de 538 votos no colégio eleitoral estão em disputa, então o candidato precisa de 270 para vencer.

“O único idoso que importa para Donald Trump é Donald Trump”, disse Biden. “Ele nunca se importou com vocês”, continuou. “A este presidente importa mais o mercado financeiro do que os idosos. Sua condução desta pandemia foi errática, a exemplo de sua presidência. Vocês são prescindíveis, esquecíveis, são virtualmente ninguém. Esta a visão de Trump “, complementou Biden, que usou máscara durante o discurso.

O apoio às medidas de Trump durante a pandemia, chegou ao auge em meados de março depois que ele declarou emergência nacional e anunciou um pacote de US$ 50 bilhões para que os Estados contivessem o vírus. Os dados mais recentes, no entanto, sugerem que mesmo seus apoiadores têm começado a questionar a resposta de Trump, com Estados do sul e do oeste do país tendo que lidar com novos surtos do vírus. O apoio dos Republicanos caiu para cerca de 78% no começo de julho.

Isso pode explicar o porquê da recente mudança na mensagem sobre o coronavírus, se distanciando da ideia de que o vírus vai “simplesmente desaparecer” e alertando que a situação vai “piorar antes do que melhorar”. Ele também passou a usar máscaras pela primeira vez e pela primeira vez defendeu que americanos as coloquem, dizendo que “elas surtirão um efeito” e demonstram “patriotismo”.

Em contrapartida, quase 20% da população da Flórida tem 65 anos ou mais, segundo o censo americano. O Estado só perde em porcentagem de idosos para o Maine. Neste verão (no hemisfério Norte), porém, a imprensa local mostrou simpatizantes de Biden fazendo carreatas com carrinhos de golfe, para competir com os eventos eleitorais comumente elaborados pelos candidatos republicanos em The Villages. Pesquisas indicam que a pandemia do coronavírus, e a forma como o governo Trump respondeu à emergência, pode estar erodindo a vantagem republicana entre os eleitores idosos, que passaram a apoiar Biden.

Mas as pesquisas mais recentes mostram uma mudança dos adultos mais velhos em relação ao presidente republicano, em grande parte por causa do seu gerenciamento da pandemia da Covid-19, que afetou bastante a população idosa. E uma recente pesquisa NBC/Wall Street Journal mostrou Biden com uma vantagem de 27 pontos (62-35%) sobre Trump nesta faixa etária. Outra, a CNN/SSRS, mostrou uma lacuna de 21 pontos percentuais na intenção de voto de americanos com 65 anos ou mais (60% a 39%).