Aquatica torna-se o primeiro parque aquático certificado para o autismo do mundo

Aquatica torna-se o primeiro parque aquático certificado para o autismo do mundo

Edição de fevereiro/2019 – p. 24

Por Geovany Dias

Parques aquáticos são sempre intensos, cheios de muita energia das crianças e jovens, gritos e infindáveis trilhas. Todos estes comuns detalhes que passam despercebidos pra muita gente podem ser grandiosos gatilhos para quem tem autismo, pela maior propensão à sobrecarga sensorial.

Este problema está presente na estrutura da maioria dos parques aquáticos, mas, segundo o jornal Orlando Sentinel, o parque Aquatica Orlando do SeaWorld, na Flórida, está tomando providências para ser mais inclusivo em todo o espectro do autismo. Tal medida deu ao parque o título de ser o primeiro parque aquático a ser designado como Centro de Autismo Certificado (CAC) pelo Conselho Internacional de Padrões de Credenciamento e Educação Continuada.

Ao chegar ao parque, os grupos podem planejar seu dia com o apoio de um guia amigo do autismo, que classifica o quanto cada viagem estimula os cinco sentidos. Um tobogã com muitas colinas e voltas está alto na escala de toque, por exemplo, e uma área colorida de playground fica no topo da escala de visão. Estes detalhes são orientados já no início do trajeto, o que possibilita um entendimento completo e proveitoso da experiência no parque.

Se os visitantes decidirem que precisam de um descanso da agitação do dia, eles podem se refugiar em uma zona tranquila com luzes reguláveis ​​e assentos confortáveis. Os funcionários do parque agora também são treinados para atender às necessidades dos hóspedes com autismo.

É comum que familiares hesitem em levar jovens e crianças portadoras de autismo para lugares com muito barulho ou considerados demasiadamente estimulantes, como as piscinas e parques aquáticos. Entretanto, de acordo com a POAC Autism Services, uma ONG a nível nacional dedicada à inclusão da pessoa com autismo, é fundamental para o desenvolvimento das crianças e jovens a orientação sobre nadar a atividades que envolvam água e piscinas, já que isso poderia literalmente salvar a vida de um portador de autismo em eventuais situações. Daí a importância da atuação dos parques neste tipo de atividade.

Aquatica Orlando é mais uma atração ligada à causa do autismo que foi aprovada pela CAC. No ano passado, o Sesame Place, na Pensilvânia, reabriu para a temporada como o primeiro parque temático a ser duplicado como um Centro de Autismo Certificado. Em Orlando, o CARD, Centro de Autismo da Universidade da Flórida Central (Center for Autism and Related Disabilities – UCF), é uma instituição que oferece amplo suporte à causa da pessoa com autismo. Segundo o centro, existe um intenso trabalho desenvolvido junto à comunidade brasileira. Aos interessados em ser voluntários do CARD, basta entrar em contato no e-mail: UCFCARD@ucf.edu.