Morre Sean Connery, o James Bond nos cinemas que encantou gerações

 

 

Sean Connery morre aos 90 anos e deixa um legado de grandes filmes como James Bond

 

Carreira de décadas de Sean Connery lhe rendeu um Oscar, dois prêmios Bafta e três Globos de Ouro. Ele o espião James Bond nos cinemas, apontado como um dos atores mais charmosos do cinema – aos 60 anos foi considerado o homem mais sexy do mundo, pela “Revista People”

 

Da Redação

Morre neste sábado, nas Bahamas, o ator escocês Sean Connery, aos 90 anos, que eternizou o espião James Bond nos cinemas. A notícia mobilizou a mídia em todo o mundo, surpreendendo amigos e admiradores, embora o estado de saúde de Connery tinha se agravado nas últimas semanas, segundo divulgou a família do astro. Apontado como um dos atores mais charmosos do cinema – aos 60 anos foi considerado o homem mais sexy do mundo, pela “Revista People” –, deixou obras primas na sua carreira, incluindo “Caçada ao Outubro Vermelho”, que lhe valeu elogios da crítica pela sua notável interpretação.

 

Connery interpretou o agente Bond, conhecido como 007, em sete filmes. Sua carreira de décadas lhe rendeu, além do vasto reconhecimento por ter vivido o espião nos cinemas, um Oscar, dois prêmios Bafta e três Globos de Ouro. O ator teve papel de destaque também em filmes como “O Homem que Queria Ser Rei”, “O Nome da Rosa” e “Os Intocáveis”. O ator foi o primeiro a dar vida às histórias do agente James Bond criadas pelo escritor Ian Fleming (1908 – 1964). O filme inaugural, de 1962, originalmente chamado apenas “Dr. No”, tinha como protagonista o então pouco conhecido Sean Connery e sequer levava no nome o 007 que viria a carimbar a mais longa franquia da história do cinema.

Pouco depois, a primeira Bond Girl, Ursula Andress, já seria tratada como a nova Marilyn Monroe, e o escocês Connery, então com 32 anos, mudaria para sempre seu status na cultura pop. Exatas cinco décadas, mais de US$ 5 bilhões arrecadados e 22 filmes depois (o 23º estreia no dia 26 do mês que vem), não apenas o primeiro ator que encarnou o agente mudou seu status: o próprio personagem se reinventou (na pele de outros seis intérpretes), resistiu até à morte de Fleming (John Gardner publicou 14 novas histórias além das escritas pelo criador de 007) e o culto dos fãs atravessou gerações, sobrevivendo ao fim da Guerra Fria e às mudanças geográficas, políticas e tecnológicas.

 

Carreira do ator

Connery nasceu em Edinburgh, na Escócia, em 25 de agosto de 1930. O ator inaugurou a franquia do agente britânico James Bond no cinema, com o filme “007 contra o Satânico Dr. No”, de 1962. Ele interpretou o personagem por sete vezes.

Connery ganhou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel em “Os Intocáveis”, de 1987. Ele também ganhou três Globos de Ouro e dois Bafta. O ator fez filmes com Marnie, “A Caçada ao Outubro Vermelho”, “Indiana Jones” e a “Última Cruzada”, “O Nome da Rosa”, “Highlander”, “A Liga Extraordinária”, entre outros. Nos anos 2000, Sean Connery foi condecorado pela rainha Elizabeth II e recebeu o título da ordem da cavalaria, recebendo o título de Sir.

 

Filmes de Sean Connery como 007: 

1962 – 007 contra o Satânico Dr. No
1963 – Moscou contra 007
1964 – 007 contra Goldfinger
1965 – 007 contra a Chantagem Atômica
1967 – Com 007 Só Se Vive Duas Vezes
1971 – 007 Os Diamantes são Eternos
1983 – 007 – Nunca Mais Outra Vez