Reciclagem dentro de casa

Reciclagem dentro de casa

Como reduzir a produção de lixo e fazer o descarte de forma sustentável

Edição fevereiro/2019 – p. 20

Em um cálculo rápido, responda: quantas garrafas pet você descartou na última semana? Se você já perdeu as contas, tente pensar pelo menos nos últimos dias. Segundo a Agência de Proteção Ambiental Americana (EPA), cada um de nós produz em média 20 quilos de lixo todos os dias. A quantidade pode não parecer assustadora à primeira vista, mas quando pensamos na população que vive hoje nos Estados Unidos – cerca de 324 milhões de pessoas, o número é impactante: 728 mil toneladas de lixo todos os dias, quantidade o suficiente para encher 63 mil caminhões.

O estado da Flórida, apesar de estar entre os 30 estados que menos produzem lixo no país, ainda chega a produzir quase 15 toneladas de lixo por pessoa ao ano. O estado de Nevada, no Oeste dos Estados Unidos, lidera o ranking com 38.4 toneladas de lixo per capita anualmente. A produção de lixo tem sido tema de constantes debates justamente porque a cultura do single use nos Estados Unidos é muito forte e isso contribui para o constante aumento da produção de lixo no país e, portanto, a reciclagem é ainda a forma mais fácil de contribuir para a reutilização de plástico, metal e outros componentes.

Produção de lixo por pessoa nos Estados Unidos segundo a Agência de Proteção Ambiental Americana. Dados: EPA

Como reciclar?

O processo de reciclar é bem simples quando passa a ser parte da rotina dentro de casa. O que importa mesmo é dar o primeiro passo e estabelecer procedimentos simples, porém fundamentais. O primeiro passo é ficar atento ao que pode ser reciclado dentro do dia a dia da sua casa: garrafas plásticas, embalagens de produtos, potes de vidro, embalagens de alumínio, sacolas de supermercado, e por aí vai. É importante verificar o selo de reciclável que está presente na grande maioria das embalagens de diversos produtos para saber qual a composição e assim poder dar o destino correto.

Reciclar é possível e fácil. Ao passo em que se dá início ao processo de separação do que é ou não reciclável dentro de casa, você vai perceber a quantidade de produtos que podem ser reutilizados que você não sabia e é aqui que a consciência sobre consumo sustentável começa a ser desenvolvido. É fundamental que você separe dois espaços diferentes para descartar o lixo reciclável e o não reciclável.

Após a separação do lixo, é importante saber onde o material poderá ser descartado. Em vários condomínios da cidade, os tradicionais contêineres de coleta seletiva estão disponíveis e cabe ao próprio complexo habitacional o cuidado com os produtos. Mas para o caso da sua região não possuir o serviço, a cidade de Orlando disponibiliza vários locais para descarte consciente, basta acessar o site da prefeitura, digitar o zip code e a plataforma encontra os locais mais próximos para descartar seus recicláveis.

Segundo dados do governo americano, exportados em até 2015, houve uma redução de quase 35% na produção de lixo no país, uma marca que vem crescendo nos últimos anos. Nos anos 60, quando os números da reciclagem começaram a ser contabilizados, a redução da produção de lixo era de apenas 6,4%. Ainda de acordo com o governo, os Estados Unidos conseguiram reciclar cerca de 87 milhões de toneladas de lixo em 2015 e boa parte deste número advém da reciclagem dentro das casas que contribuem para o ciclo maior da reciclagem.

Sacolas plásticas

Um estudo da National Geographic informou que 500 bilhões a 1 trilhão de sacolas plásticas são consumidas a cada ano. Durante o mesmo período, a World Watch estimava que 4-5 trilhões de sacolas plásticas eram usadas todos os anos em todo o mundo, sendo os EUA e a Europa juntos os responsáveis por 80% deste total. Em uma análise mais recente, a Ocean Watch Austrália estimou que, em 2017, o número de sacolas plásticas usadas chegou a 5 trilhões.

Inevitavelmente, as sacolas plásticas fazem parte da grande maioria dos residentes dos Estados Unidos. Por mais que algumas redes de supermercados já façam o incentivo ao uso consciente de sacolas plásticas, como o Aldi Market, que cobra por cada sacola utilizada pelos clientes, as gigantes como Publix e Walmart ainda não desenvolveram estratégias que reduzissem drasticamente o uso das sacolas plásticas. Mas, com um pouquinho de boa vontade, é possível também encontrar um destino sustentável para estes produtos.

Primeiramente, reciclar é também reutilizar. Após as compras de fim de mês que abastecem a dispensa, não descarte as sacolas. Guarde-as em um local seco e livre de fontes de calor, para que possam ser reutilizadas, ao menos como sacolas de lixo. Quando a quantidade armazenada já for muito grande, acrescente uma parada em um posto de reciclagem de sacolas na sua rotina. As mais famosas são do próprio Publix, que possui também locais para descarte de pilhas e baterias descarregadas e sacolas de papel.

Veja a seguir uma lista de atitudes simples que contribuem grandiosamente para a redução da emissão de plástico no dia a dia

1. Tenha sua própria sacola de compras: trazer sua própria sacola plástica é comum, mas é um bom conselho ambiental, um conselho tão bom que alguns governos implementaram políticas para encorajar mais pessoas a fazê-lo. Sacos de compras descartáveis foram banidos em várias cidades, como São Francisco e Washington, D.C.

2. Pare de comprar água engarrafada: a menos que haja algum tipo de crise de contaminação, as garrafas plásticas de água são um alvo fácil para reduzir o desperdício. Em vez disso, utilize uma garrafa reutilizável para levar para a academia, para o trabalho e outros lugares.

3. Traga sua própria garrafa térmica para a cafeteria: Falando de recarregáveis, trazer sua própria garrafa térmica para café é outra maneira de reduzir a produção de plástico. Copos de café descartáveis podem parecer papel, mas geralmente são revestidos com polietileno, um tipo de resina plástica. Teoricamente, esses materiais podem ser reciclados, mas a maioria dos lugares não tem infraestrutura para isso. Depois, há tampas, agitadores e vendedores de café que ainda usam copos de espuma de poliestireno – que podem ser evitados com sua própria caneca. E uma dica: no famoso Dunkin’ Donuts, se você tiver o seu próprio copo, não importa o tamanho, o café sai por apenas algumas moedas.

4. Escolha papelão em garrafas plásticas e sacos: de um modo geral, é mais fácil reciclar o papelão do que o plástico, e os produtos de papel tendem a biodegradar mais facilmente sem agregar muito peso ao produto da mesma forma que o vidro ou o alumínio. Então, na hora de escolher macarrão, por exemplo, compre a versão que vem embalada em caixa de papel e não em embalagem de plástico, assim como o detergente. Para os mais atentos, realizar uma pesquisa sobre a política de reciclagem das empresas que produzem estes materiais pode ser um excelente fator para decidir qual comprar.

5. Diga não aos canudos: seja para uso doméstico ou quando você pede uma bebida em um bar ou restaurante, os canudos de plástico costumam ser um item de uso único que não é necessário.

6. Ignore o aparelho de barbear descartável: em vez de jogar uma navalha de plástico no lixo todos os meses, considere trocar para uma navalha que permita que você substitua apenas a lâmina ou até mesmo uma navalha.

7. Troque de fraldas descartáveis para pano: se você tem um bebê, sabe quantas fraldas podem acabar no lixo todos os dias. Os escritores do TreeHugger são grandes fãs da opção de pano reutilizável.

8. Repense o seu armazenamento de alimentos: embalagens plásticas e recipientes de armazenamento de plástico devem ser reavaliados. Em vez de jogar fora os sacos plásticos com zíper (famosos Ziploc) ou embrulhar coisas em filme plástico, por que não usar potes ou recipientes de vidro na geladeira? É mais saudável e sustentável.

9. Compre a granel: para muitas famílias, a maioria dos resíduos plásticos é gerada na cozinha. Assim, uma das melhores maneiras de reduzir a loucura dos resíduos de embalagens é trazer seus próprios sacos e contêineres e estocar alimentos a granel. Comprar com potes é uma ótima opção para estocar, economizar e ser mais sustentável.

10. Óleo de cozinha: após utilizar óleo para fritar algum saboroso prato em casa, fique atento ao descarte deste tipo de resíduo. O óleo pode parecer inofensivo, mas, segundo a National Waste & Recycling Association, 1 litro de óleo contamina até 25 mil litros de água e, por isso, é fundamental que ele não seja descartado no ralo da pia. A cidade de Orlando também oferece um sistema para coleta de óleo de cozinha. Basta acessar o site e pedir um contêiner para reciclagem de óleo de cozinha e, após utilizado, a própria prefeitura orienta como deve ser feito o descarta.
Reciclar é fundamental e é nossa responsabilidade para a construção de um planeta mais sustentável e com menos poluição. A responsabilidade é de cada um de nós, dentro do nosso cotidiano, em cada pequena atitude, que poderá – e vai – afetar toda a população do planeta em pouco tempo.