Nada acontece por acaso

voltar

SET/13 – pág. 70

A história que vou contar hoje aconteceu em Nova York há mais ou menos 40 anos.

O jovem pastor Peter Smith, foi encarregado de administrar uma igreja no Brooklin que estava precisando de muitos reparos. O objetivo do jovem pastor era deixar o prédio em ordem para o culto de Natal. De outubro até meados de Dezembro, Peter e seus ajudantes – alguns dos fieis da igreja – trabalharam sem parar, todos deram sua contribuição: Jacob pintou a igreja, Sr. John cuidou das reformas elétricas e Fred reformou os bancos. Aos 19 de Dezembro, tudo estava em ordem, porem á tarde Nova York foi castigada por uma tempestade que durou dois dias. No dia 21 o pastor foi até a igreja e constatou que uma parte do telhado havia quebrado atingindo a parede do santuário logo atrás do púlpito.

Peter ficou preocupado: – Como esconder aquele estrago? Os reparos só poderiam ser feitos após o Natal. O que fazer em tão pouco tempo?

Resolveu caminhar, assim pensaria melhor. Olhava distraidamente as lojas quando uma vitrine chamou sua atenção, nela estava um lindo painel na cor marfim com uma cruz bordada no centro. Olhando melhor constatou que era do tamanho exato para cobrir o estrago, comprou o painel e voltou para a igreja. No caminho começou a nevar, ele apressou o passo e acabou esbarrando em uma senhora que vinha na direção contrária, ela corria na tentativa de pegar o ônibus, não conseguiu. O pastor vendo seu semblante cansado a convidou para entrar na igreja. Ela aceitou e se acomodou num banco próximo a porta. Peter pediu licença e foi pendurar o painel na parede. Findo o serviço afastou-se um pouco para observar o resultado, foi quando viu ao seu lado aquela senhora, ela estava olhando fixamente o painel e com um fio de voz perguntou:

– Onde o senhor o conseguiu? Por favor pastor, veja se no verso dele estão bordadas as iniciais EBG. O pastor confirmou, lá estavam as iniciais.

Dona Elza então contou sua história: ela havia bordado aquele painel há 35 anos quando morava na Áustria com seu marido, então veio a guerra e eles planejaram fugir antes da invasão dos nazistas, combinaram que ela iria na frente e alguns dias depois seu marido iria se encontrar com ela, porem D. Elza foi capturada e ficou presa durante anos, consegui fugir e chegar aos Estados Unidos. Nunca mais viu seu marido e nem consegui voltar para a Áustria. O pastor comovido com a narrativa ofereceu a ela o quadro, porem D. Elza disse: – Eu agradeço, mas acho que o painel está no lugar certo.

Como o ônibus demorou a chegar, Peter levou D. Elza pra casa e no caminho convidou-a para o culto de Natal, mas infelizmente ela estaria trabalhando.

Chegou o dia de Natal, a igreja estava lotada, o que deixou o pastor feliz. O culto terminou, todos se foram menos o Sr. John que ainda estava sentado e parecia como que hipnotizado olhando para o painel. Peter aproximou-se e perguntou: – Tudo bem Sr. John, posso ajudá-lo?

– Onde o senhor conseguiu o painel? Ele é igualzinho a um que minha esposa bordou há muitos anos atrás quando morávamos na Áustria. Imediatamente Peter entendeu o que estava acontecendo e disse: – Venha Sr. John, vou levá-lo pra casa, porém antes peço que me acompanhe numa visita.

No caminho John contou a mesma história que D. Elza havia contato alguns dias atrás. Ele também havia sido preso, depois de alguns anos conseguiu chegar à Nova Iorque.

Chegando a casa de D. Elza, Peter ajudou o Sr. John a subir as escadas e tocou a campainha. Lá de fora eles ouviram D. Elza dizendo num inglês com forte sotaque germânico: – “ Um momento, quem é….?” D. Elza que já abria a porta, não consegui terminar a frase.
Nada acontece por acaso, não é mesmo?

Texto recebido pela internet informando ser uma história real e de autor desconhecido.

Madu Caetano