Vinho sem alergia

Vinho sem alergia

A primavera chegou, e com ela a pior época do ano para os alérgicos, seja por pólen ou poeira, ou outros causadores de espirros intermináveis. Infelizmente, alguns estudos afirmam que vinhos tintos, tão queridos parceiros de noites de temperaturas amenas, são também potencializadores dos sintomas alérgicos, já que contêm um nível alto de histamina, que varia de 20% a 200% a mais que o vinho branco. Exatamente por isso que, para tentar amenizar os efeitos colaterais, esse mês falaremos de vinhos ideais para a primavera, com dicas que harmonizam perfeitamente com a estação

Edição de abril/2019 – p. 36

Vinho sem alergia

O sentimento de chegada da Primavera é algo um tanto quanto controverso, já que se trata de uma das épocas mais bonitas do ano quando vista pelo prisma da natureza: as flores despertam, o verde fica mais verde, o aroma mais fresco, dentre outras características tão exclusivas deste período do ano. Mas ao mesmo tempo ele traz também um excesso de pólen, causando 3 meses de tortura fisiológica. Nossos carros ficam amarelos se deixados do lado de fora, como se a natureza estivesse jogando (literalmente) na nossa cara que a estação chegou.

Para nós, amantes de vinhos tintos, essa também pode ser uma época onde os sintomas se aflorem mais, já que, como indicamos acima, dentre as substâncias químicas resultantes do processo de fermentação do vinho, estão as histaminas.

Entretanto nem por isso deixaremos de tomar nosso vinho tinto costumeiro, e a alternativa mais simples é escolher opções menos tânicas, ou seja, menos encorpadas. Por outro lado, e para evitar qualquer tipo de possível potencialização dos efeitos alérgicos, opte por cortes brancos, que definitivamente não possuem um alto nível histamínico.

Dentre os vinhos tintos menos “arriscados”, recomendamos qualquer elegante Pinot Noir oriundo de região fria, pois esses vinhos tendem a ser um pouco mais ácidos. Bons exemplos são os Pinot Noir da Patagônia, na Argentina, que são mais delicados e igualmente deliciosos. Uma boa pedida disponível localmente é o Manos Negras, custando em torno de U$20. Caso não consiga encontrar essa opção sul-americana, uma alternativa muito boa – e popular – são exemplares de Marlborough, da Nova Zelândia, como o Villa Maria, que é um Pinot Noir de uma região não tão fria, mas é uma boa escolha para amantes dessa uva.

Por outro lado, os vinhos brancos nos dão a alternativa 100% livre de espirros. Como de praxe nesta coluna, tentamos recomendar exemplares de preços acessíveis e joias ainda não tão conhecidas – e por isso, nossa primeira sugestão vai pra deliciosa uva Austríaca Grüner Veltliner. Ela é um exemplar muito interessante, com notas levemente apimentadas, além do usual frescor cítrico de vinhos brancos de regiões frias. Além disso, este vinho é um par perfeito para comidas Asiáticas, como as deliciosas (e igualmente frescas) variedades da cozinha Tailandesa ou Vietnamita, além de ser uma boa alternativa ao Sauvignon Blanc, ideal para dias de piscina e calor. Vinhos desta variedade tem um custo-benefício também fantástico, sendo encontrado por em média $17 dólares em lojas especializadas e online.

Outro exemplar também não tão divulgado, mas igualmente relevante é o Albariño, vindo principalmente da região de Rias Baixas, na Espanha. Interessantemente existe o clone dessa uva também em Portugal, na região de Monção e Melgaço, no Norte do país.

A uva em Portugal tem o nome de Alvarinho, e assim como o Grüner Veltliner, é um exemplar delicioso e econômico, com custo médio em torno de $14 dólares a garrafa. Para amantes de frutos do mar, o Albariño/Alvarinho, são opções perfeitas, já que apresentam notas levemente salgadas, porém altamente ácidas – e muito refrescantes. Vinho incrivelmente aromático, é uma ótima opção para dias quentes mas com aquela brisa que só a primavera traz.

Nossa última dica vai para um vinho super estrelado: o maravilhoso rosé da vinícola Miraval. Na verdade, qualquer rosé da região de Provence cai bem para a estação, mas esse exemplar, especificamente o de 2017, garantirá uma experiência verdadeiramente completa de primavera: ele tem aromas de flores da estação e uma elegância e frescor no palato incomparáveis. E além dos prêmios e menções honrosas, os donos da vinícola vem a ser ninguém menos que Brad Pitt e Angelina Jolie – que mesmo após a separação conturbada, mantiveram o compromisso de cultivar juntos essa pérola enológica. E ainda estamos falando de uma opção econômica, disponível no mercado por menos que $25USD.

Há muitos outros vinhos saborosos e que caem super bem com a primavera, por isso não deixe de explorar as muitas opções acessíveis no mercado local e o clima perfeito para experimentá-las. Cheers!