US$ 450 mil para ir ao espaço. ‘Virgin Galactic’ realiza o turismo espacial

Turismo espacial da “Virgin Galactic já vendeu 100 bilhetes por US$ 450 mil, comunica a empresa

 

A “Virgin Galactic”, do bilionário Richard  Branson, anunciou esta semana a venda de 100 passagens de viagens ao espaço por US$ 450 mil cada uma. O número inclui ainda 600 bilhetes comprados entre 2005 e 2014 por clientes que pagaram US$ 250 mil antecipadamente. Você se habilita a ir ao espaço por esse valor?

 

Da Redação

Quem se habilita a ir para o espaço a um preço exorbitante? A empresa de turismo espacial “Virgin Galactic”, do bilionário Richard  Branson,  anunciou que desde agosto vendeu cerca de 100 passagens de viagens ao espaço, por US$ 450 mil cada uma. O valor é equivalente a mais de R$ 2,46 milhões em conversão direta do dólar para o real. E os milionários de plantão, dispostos a ultrapassar os próprios limites para a chamada viagem dos sonho, se mobilizam para realizar essa façanha.

 

Richard Branson fala da venda de bilhetes – E com os pedidos para ir ao espaço – o turismo espacial –, a empresa chega à marca de 700 passagens vendidas no total. O número inclui 600 bilhetes comprados entre 2005 e 2014 por clientes que pagaram até US$ 250 mil antecipadamente.

Em comunicado, a “Virgin Galactic” relatou que a nova tarifa de US$ 450 mil tem sido bem recebida. A empresa afirmou ainda que sua meta é chegar a 1.000 passagens antes do lançamento do primeiro voo comercial, previsto para o final de 2022.

“Estamos entrando em um período de melhoria da frota com uma rota clara para aumentar a durabilidade, confiabilidade e previsibilidade de nossas aeronaves de serviço comercial”, disse o diretor executivo da Virgin Galactic, Michael Colglazier.

“A demanda por viagens espaciais é forte e estamos vendendo assentos mais rápido do que esperávamos”, acrescentou.

A nave espacial da “Virgin Galactic” foi temporariamente imobilizada pelas autoridades dos EUA em setembro, após sair do espaço aéreo autorizado em sua missão inaugural. Em outubro, a empresa anunciou que atrasaria seu primeiro voo comercial do terceiro para o quarto trimestre do ano que vem, para realizar melhorias na segurança. A empresa confirmou que mantém a previsão.