Toneladas de peixes mortos invadem águas de São Petersburgo; algas tóxicas preocupam

Toneladas de peixes mortos são recolhidas das águas do “Parque North Shore”

 

Uma proliferação de algas tóxicas está assolando Tampa Bay e sujando as costas de São Petersburgo. Os trabalhadores recolheram 477 toneladas de vida marinha morta na costa nas últimas semanas, de acordo com o prefeito Rick Kriseman

 

Da Redação

O que está ocorrendo nas águas de São Petersburgo? Peixes mortos são visíveis nas águas do “Parque North Shore”, deixando autoridades e a população em alerta. A Sunshine City se tornou o epicentro da contínua crise da Maré Vermelha em Tampa Bay, e ninguém pode dizer quando ela vai melhorar. Com isso, os parques à beira-mar se tornaram o centro da crise da Maré Vermelha de Tampa Bay.

As jangadas de peixes mortos chegam à costa mais rapidamente do que as tripulações conseguem recolher as carcaças. Os trabalhadores recolheram 477 toneladas de vida marinha morta na costa nas últimas semanas, de acordo com o prefeito Rick Kriseman. Isso representa a esmagadora maioria das mais de 600 toneladas recolhidas em todo o condado de Pinellas.

Os cientistas continuam a detectar altos níveis de Maré Vermelha em grande parte da baía, sem nenhum sinal de alívio imediato no horizonte.

Segundo Robert Weisberg, professor de Oceanografia Física da “University of South Florida”, organismos microscópicos produzem toxinas que matam peixes. Eles podem causar problemas respiratórios menores, garganta arranhada e olhos lacrimejantes. O monitoramento do condado mostrou níveis elevados de Maré Vermelha em várias praias nos últimos dias, incluindo Fort De Soto, Pass-a-Grille, Ilha do Tesouro, Madeira Beach, Indian Rocks Beach e Clearwater Beach.

“A baía não está muito feliz agora, para dizer o mínimo”, disse Weisberg,  cujo laboratório prevê o movimento da Maré Vermelha. Seu modelo, baseado em amostras de água do estado, sugere que as algas tóxicas permanecerão em um futuro próximo.

“Não há muito que possamos fazer, além de garantir que estamos todos nos comunicando bem”, complementou Eric Sutton, diretor da “Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem” da Flórida. “Não há sinais de que necessariamente vai acabar em breve, mas aprendi o suficiente para não tentar prever a Maré Vermelha.”

Sutton e o secretário ambiental interino da Flórida, Shawn Hamilton, visitaram São Petersburgo na terça-feira para discutir sobre a Maré Vermelha.

Uma floração estava se espalhando ao sul de Tampa Bay no início deste ano, disse Robert  Weisberg, em torno de Charlotte Harbor. Ventos de sul incomumente persistentes entre março e abril podem ter levado esses organismos até Tampa Bay, disse ele.

“Uma vez aqui, os organismos da Maré Vermelha provavelmente encontraram nutrientes reciclados, particularmente nitrogênio, despejados em Tampa Bay em abril por meio de água contaminada do antigo local da fábrica de fertilizantes Piney Point no condado de Manatee”, de acordo com Weisberg.

As medidas eficazes que acabam com a proliferação da Maré Vermelha ainda são um “mistério”, acrescenta Robert Weisberg, mas ele alerta que a circulação padrão da baía provavelmente não eliminará as algas em breve. Os peixes mortos agravam o problema porque as carcaças liberam mais nutrientes de volta à água para alimentar a Maré Vermelha.

A cidade colocou lixeiras em vários parques para que os residentes pudessem jogar fora qualquer peixe morto que coletassem em canais e ao pé de paredões.