Tenha o ambiente livre de mofo (mold)

voltar

MAI/13 – pág. 51

MOFO E SEUS EFEITOS NA SAÚDE

01_03_12_Clean_Blog_Imagem 1_Como limpar mofo ou bolorMofo é um termo não científico para muitos tipos de fungos – manchas desagradáveis, indesejáveis de preto, marrom, amarelo, rosa, verde, mau cheiro. Inúmeras espécies de fungos são encontradas tanto em ambientes internos, quanto ao ar livre.

“Mofo” ou “fungo” tem muitas conotações, a maioria desagradável: odores de mofo, caves úmidas, carpetes mofados, vazamentos de água, drywall encharcada, pé de atleta e cogumelos venenosos, entre outros. No lado positivo, o mofo foi responsável pela descoberta da penicilina e do queijo azul; leveduras são fungos usados para fazer pão, cerveja e vinho; e alguns tipos de cogumelos são considerados iguarias comestíveis. Sem fungos para decompor o lixo, o mundo seria enterrado em folhas, árvores, grama e lixo.

O mofo e seus esporos estão literalmente em toda parte e o crescimento do mofo ativo requer umidade. Seja em superfícies visíveis ou escondendo-se atrás de paredes úmidas, em sótãos ou sob tapetes, o mofo interior cresce na presença da umidade excessiva ou da água. As bactérias e os ácaros também são encontrados em ambientes internos úmidos.

Mofo interior pode ser feio e malcheiroso, mas os problemas potenciais são mais graves do que isso. O mofo está associado a alguns efeitos adversos da saúde em seres humanos, incluindo alergias e infecções. Alguns efeitos à saúde atribuídos ao mofo podem de fato ser causados por bactérias, ácaros etc., todos encontrados em ambientes mofo-colonizado ou “mofo tóxico”, apontado como a causa da “doença do mofo tóxico” com a “síndrome do edifício doente”.

O crescimento de fungos em casas, escolas e empresas deve ser eliminado em prol da saúde humana, da integridade estrutural e da qualidade de vida. Limpeza de pequenas quantidades de mofo pode ser feita pelos proprietários, porém, para eliminar o mofo de grandes áreas, é importante ter o conhecimento e a proteção de especialistas na remoção de mofo.

Os efeitos na saúde, associados com exposição a espaços úmidos interiores, ao mofo e a outros fungos, crescem em ambientes internos úmidos. Muitas vezes, pessoas que passam muito tempo em tais ambientes queixam-se de problemas respiratórios, dores de cabeça e outros sintomas físicos. Além do mofo visível ou oculto, espaços úmidos podem ter mofo, ácaros, bactérias, produtos químicos, gases e esporos, advindos de onde os mofos crescem.

Os especialistas descobriram que ficar em espaços interiores úmidos está relacionado a doenças respiratórias: nariz e garganta (respiratório superior); tosse, chiado (respiratório inferior) e sintomas de asma Eles também encontraram evidências de que esses ambientes podem ser associados à falta de ar, ao desenvolvimento de asma em pessoas que não sofreram anteriormente com a doença e sintomas do trato respiratório inferior (tosse, chiado, aperto no peito e falta de ar) em crianças saudáveis. Com base em pesquisas disponíveis, a IOM (Instituto de Medicina) não foi capaz de fundamentar as alegações de vários outros sintomas, tais como irritações da pele, fadiga, câncer, doenças pulmonares ou infecções respiratórias. Não havia provas suficientes de efeitos sobre a saúde em geral, no entanto, a IOM identificou espaços interiores úmidos como problema de saúde pública, precisando ser erradicada.

Lino Cervino
Engenheiro Civil no Brasil e State 
Certified General Contractor nos EUA.
www.focusbulders.net
linocervino@nossagente.net