Supervisor do Census, em Houston, revela trabalho dinâmico junto às comunidades

Felipe Franchi Souza, Census Field Supervisor, fala do recenseamento em Houston

 

O jovem brasileiro Felipe Franchi Souza – Census Field Supervisor em Houston –, fala ao “Site Nossa Gente” da importância do recenseamento junto às comunidades da cidade mais populosa do Texas – com população de 2,3 milhões.  

Da Redação

Em Houston, a cidade mais populosa do Texas – com população de 2,3 milhões –, a quarta mais superpovoada dos EUA, a equipe supervisionada pelo jovem brasileiro, Felipe Franchi Souza – Census Field Supervisor –, vem atuando ininterruptamente na fase de coleta do Census 2020, que compreende a aplicação dos questionários básicos com as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, entre outros tópicos. Um passo fundamental para que o governo americano possa disponibilizar verbas de auxílio à comunidade – no âmbito da saúde, educação e economia. “A minha equipe conta com cerca de trinta pessoas, e tem sido uma boa experiência, se locomovendo nos endereços da área ‘Houston South’, na ‘Operação NonResponse Follow Up’ (NRFU)”, ressalta Felipe.

“A nossa missão é conscientizar as pessoas da importância de responder ao Census, pois através deste levantamento o governo irá designar verbas para as escolas, para a saúde e outros segmentos importantes. A resposta positiva da população ao Census favorecerá o número de representantes na Câmara Federal, em defesa aos interesses da cidade. E quanto mais participação, mais representantes no Congresso, de acordo com o número populacional”, destaca o supervisor.

Houston é uma cidade diversificada com uma grande e crescente comunidade internacional. A área metropolitana de Houston abriga cerca de 1,1 milhão (21,4 %) de residentes que nasceram fora dos EUA, com quase dois terços da população estrangeira na região do sul da fronteira entre os EUA e o México. Além disso, mais de um em cinco residentes de origem estrangeira são da Ásia. A cidade abriga a terceira maior concentração de Consulados do país, que representam 86 países. Segundo Felipe, “a população asiática é uma tradição de mais de duzentos anos em Houston, foram os primeiros trabalhadores imigrantes a ocupar a cidade. Tem também um contingente de negros, brancos e hispânicos, incluindo as crianças e os idosos. Já os brasileiros, a maioria que vive aqui é de estudantes”, complementa.

Em tempos de pandemia, o esquema de proteção dos membros de sua equipe, adianta o supervisor, obedece aos padrões de segurança exigidos pelas autoridades de saúde com o uso de máscara, álcool gel e o distanciamento necessário. “Eu, por exemplo, trabalho vinte quatro horas por dia, durante os sete dias da semana, atendendo a necessidade de cumprir o recenseamento no prazo designado pelas autoridades, com encerramento no dia 30 de setembro. A princípio, o recenseamento começaria no mês de marco, com término em maio, mas, com a Covid-19, os trabalhos iniciaram-se em julho e o governo federal determinou o encerramento em setembro. Lembrando também que as eleições presidenciais vão acontecer no início de novembro – dia 3 de novembro”, aponta Felipe.

Indagado sobre como tem sido a resposta da população ao Census, na sua área de atuação, em Houston, Felipe Franchi Souza, que reside em Orlando, foi enfático: “Temos tido  resposta muito positiva nas zonas em que a nossa equipe tem trabalhado. É uma operação bem coordenada, e procuramos desenvolver o nosso trabalho com determinação, pois a nossa meta é consolidar com êxito o recenseamento”, finaliza.

 

Comunicado U.S. Census Bureau:

“Todas as respostas do Censo de 2020 são armazenadas com total privacidade e sigilo. É a lei. Suas respostas não podem ser compartilhadas e nem usadas contra você por nenhuma agência governamental ou tribunal, em nenhuma circunstâncias”.