Queda de juros para compra e refinanciamento de imóvel residencial acelera mercado em Orlando

O contingente de compradores em potencial eleva o mercado imobiliário em Orlando

 

A queda da taxa de juros para a compra e o refinanciamento de imóvel residencial aquece o mercado imobiliário em Orlando. A mortgage brokers da “Athus Mortgage Services”, Midian Martins; o gerente do “Trustco Bank” – Metrowest –, Gustavo Rangel, e Patrícia Álvares, consultora imobiliária da “Kylin Realty”, apontam diretrizes positivas do setor

 

Da Redação

Com a menor taxa de juros dos últimos 20 anos – 2.375% –, o mercado imobiliário de Orlando continua a dar passos substanciais, acelerando o processo de compra, venda e refinanciamento de imóveis residenciais, com uma demanda considerável de compradores – poucas casas disponíveis mediante ao contingente de cliente em potencial –, o que eleva a temperatura dos negócios. E com o robusto aquecimento do setor, corretores e mortgage brokers entram no ranking para realizar todo o trabalho de solicitação junto aos bancos, procurando atender a expectativa de quem aproveita as grandes vantagens do momento, disponibilizadas pelo governo americano, alavancando o sonho da casa própria. Brasileiros residentes e americanos integram a corrente em busca de financiamento, para consolidar a aquisição do imóvel, portanto, é imprescindível ater-se ao fato surpreendente em tempos de pandemia, quando o assunto é comercializar imóveis.

Midian Martins – Com vasta experiência no mercado imobiliário, a CEO e mortgage broker da “Athus Mortgage Services”, em Coral Springs, FL, Midian Martins, chama a atenção para a baixa dos juros do setor, incentivando um número expressivo de brasileiros residentes à compra e o refinanciamento do seu imóvel. “Estou há vinte anos no mercado imobiliário, e, confesso, nunca tinha presenciando uma baixa tão significativa do juro anual – 2.375% –, para a compra da casa própria, potencializando o setor de compra, venda e o refinanciamento residencial. O momento é muito oportuno para que se façam bons negócios, de encontrar a casa ideal, compatível com o status financeiro do cliente. É um passo essencial consultar o mortgage brokers para que ele faça uma avalição das condições financeiras do cliente na compra do imóvel residencial. Às vezes o comprador  quer adquirir um imóvel acima de suas condições financeiras, e isso gera algumas surpresas. E pode ocorrer também do cliente ter todas as condições para comprar um casa acima do valor que almejava”, informa.

“Noventa e cinco por cento dos nossos clientes são brasileiros residentes, e há um grande incentivo para a aquisição de imóvel ou mesmo o refinanciamento da sua casa. O volume é muito grande de pessoas que estão ajustando o refinanciamento do seu imóvel – de até 30 anos –, diluindo as prestações, o que diminui o montante da dívida. Com isso, é possível quitar o imóvel em até quinze ou vinte anos”, ressalta Midian.

“No ano de dois mil, por exemplo, o juro anual para aquisição da casa própria era elevado – 9.75% –, e as pessoas até sorriam dizendo ser um juro vantajoso. Hoje, em dois mil e vinte, em plena pandemia, o juro anual é baixíssimo – 2.375% –, o que facilita muito mais a compra do imóvel residencial. O volume é grande de compradores, e o mercado disponibiliza poucos imóveis para atender o contingente em potencial. Tem imóvel que entra no mercado para a venda e, dois dias depois recebe até dez ofertas de compra, o que não acontecia anteriormente, e, em até uma semana é vendido”, complementa.

Midian Martins lembra também do empréstimo do Federal Housing Administration, hipoteca segurada pelo FHA – agência dentro do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano (HUD) dos EUA. Os mutuários com empréstimos de FHA pagam pelo seguro de hipoteca, que protege o credor de uma perda se houver inadimplência sobre o empréstimo. As taxas de juros são atrativas e com requisitos de qualificação menos exigentes e mais flexíveis do que os empréstimos convencionais. Pontuações mínimas de crédito para empréstimos de FHA dependem do tipo de empréstimo que o mutuário precisa. Para obter uma hipoteca com um pagamento tão baixo quanto 3,5% de entrada, o mutuário precisa de uma pontuação de crédito de no mínimo 600.

Indagada sobre o processo de qualificação do comprador de um imóvel residencial, em Orlando, orienta Midian que o primeiro passo é consultar o mortgage broker: “Primeiro faço a qualificação do cliente, verificando o Imposto de Renda; verificação do crédito; os últimos seis cheques que recebeu como pagamento da empresa em que trabalha, entre outros procedimentos, a partir daí iniciando-se a sua qualificação para a compra do imóvel residencial. Feito isso, então libero a carta de pré-qualificação que será encaminhada ao corretor e para o proprietário do imóvel à venda. Com essa carta, o cliente terá melhor atenção por parte do corretor e do proprietário do imóvel à venda porque ele está qualificado a adquirir o imóvel pleiteado. Tem as condições financeiras compatíveis para a aquisição do imóvel”, relata.

O corretor e o proprietário do imóvel à venda entram em contato comigo, a companhia do mortgage, assegurando-se de que o comprador está apto para consolidar a compra. É um processo seguro, e que garante ao cliente e ao dono do imóvel à venda uma transação comercial apropriada. É importante lembrar que os brasileiros que residem na Florida, na compra de um imóvel residencial, não precisam do green card, mas apenas do work permit. E isso facilita bastante a negociação”, finaliza Midian Martins.

Serviço

Athus Mortgage Services

7522 Wiles Road Suite B207 – Coral Springs, Fl 33067

Fone – 954-509-0550

Website – https://athusmortgage.com

E-Mail: info@athusmortgage,com

 

Gustavo Rangel:

“Quando o procedimento é correto, o banco avalia, dá a carta de crédito”

Seguindo a orientação do gerente do “Trustco Bank” – Metrowest –, Gustavo Rangel, na compra do imóvel residencial é necessário seguir o procedimento adequado para que comprador, corretor, mortgage brokers e o proprietário do imóvel possam realizar o trâmite sem perda de tempo. E no primeiro passo, adianta, “o cliente deve ir ao banco para ser devidamente orientado a fim de conseguir uma carta de pré-qualificação para que não aconteça o achismo, que é uma faca com dois gumes, ou seja, tentar comprar algo que não pode, ou mesmo inferior às suas condições financeiras. O primeiro passo, se o cliente for financiar o imóvel, é correr atrás do que a sua condição financeira permite”, esclarece Gustavo.

“Quando o procedimento é correto, o banco avalia e dá a carta de crédito. A partir desse momento, o dono do imóvel dará total atenção ao comprador porque ele está aprovado para a compra, após o processo de avaliação. No caso, faço a aplicação de pré-aprovação e, aprovado, o cliente vai ao mercado imobiliário com a situação definida. Ele poderá fazer a escolha do imóvel adequado, dentro de suas condições financeiras, evitando frustrações no momento de fechar o negócio”, complementa o gerente.

Consultado sobre os quesitos necessários para que o banco aprove o crédito do cliente para a aquisição da casa própria, explica Rangel que, “o cliente precisa comprovar rendimentos e que o seu endividamento não seja grande. E se você, por exemplo, ganha xis, mas gasta dois xis, aí fica complicado. Na verdade, o problema não é quanto à pessoa ganha, mas qual é o nível de endividamento dessa pessoa. Às vezes apresenta descontrole no cartão de crédito, então ocorre um endividamento incompatível com os seus rendimentos, ou seja, gasta mais do que ganha e não tem reservas”, alerta.

Em tempos de pandemia, a reação do mercado imobiliário tem sido positivamente surpreendente, e, segundo Gustavo Rangel, quando perguntado, “no início foi indeciso, mas, após a segunda semana, às pessoas reagiram, querendo fazer o refinanciamento do seu imóvel; pessoas querendo comprar a casa própria, motivadas pela queda da taxa de juros. O momento é propício com fatores benéficos”, enfatiza.

Quanto ao brasileiro investidor, disse Rangel que, “o brasileiro continua investindo. O sistema financeiro americano tem incentivado o investimento de imóveis, em negócios que geram empregos. A indústria da construção continua a todo vapor, com a construção de casas, estradas e demais empreendimentos”, finaliza.

Serviço

Gustavo Rangel

Branch Manager

Trustco Bank

Metrowest Office

2619 S Hiawassee Rd, Orlando, FL 32835

Fone – 407-293-1580

 

Patrícia Álvares:

“O mercado imobiliário continua aquecido, com muita gente querendo comprar sua casa própria para sair dos aluguéis caros”

Segundo Patrícia Álvares, consultora imobiliária licenciada na Flórida, desde 1998, da “Kylin Realty” – especializada na compra, venda e aluguel de imóveis de férias e residenciais –, “o mercado imobiliário na Flórida Central está bem aquecido, apesar das incertezas geradas pela pandemia e da recessão econômica nos Estados Unidos, acelerada por ela, mas a situação hoje é muito diferente do que ocorreu na crise imobiliária que abateu o setor em 2008 e 2009. Em abril e maio, o mercado imobiliário deu uma desacelerada devido ao lockdown, e muita gente tirou suas casas do mercado achando que os preços iam cair. Pessoas ficaram com medo de comprar, os bancos apertaram mais as exigências para financiamento, mas em junho e julho o mercado normalizou, e até superou os indíces de um ano atrás”, avalia.

“Os preços tendem a continuar subindo de forma estável e sem especulação, uma vez que tem mais gente querendo comprar do que gente vendendo, e os juros para financiamento de imóveis continuam baixando, incentivando a compra de imóveis agora. Isso nunca ocorreu antes, é uma baixa histórica, a menor taxa de juros dos últimos 50 anos, e isso tem motivado o público local, e mesmo internacional, a investir na compra de imóveis aqui. O mercado imobiliário em Orlando continua aquecido, com muita gente querendo comprar sua casa própria para sair dos aluguéis caros, ou quem já tem sua casa quer uma casa maior, e melhor, com mais espaço, mais área de lazer, com detalhes que possam melhorar a qualidade de vida”, aponta Patrícia.

“Com a pandemia, surgiu um novo normal, muita gente agora trabalha em casa, as empresas descobriram que os funcionários trabalhando em casa não compromete a produtividade, pelo contrário, então essa tendência deve continuar. E, passando mais tempo em casa, surge a necessidade de criar espaços de trabalho, áreas de lazer maiores. O que ocorre é o seguinte: quem mora em townhome (sobrado geminado) quer uma casa single family, e quem já tem sua casa, quer uma maior, com piscina, cozinha externa, área de lazer, home office (escritório). Têm pessoas que querem até dois home offices, um para os pais trabalharem, outro para os filhos poderem estudar em casa. O morador local, tanto o americano quanto o imigrante residente, está investindo em moradia, e o mercado imobiliário está olhando nesta direção. O processo de compra e venda está acelerado. A casa entra no mercado para venda e imediatamente surgem as ofertas e, rapidamente o imóvel é vendido. Eu, recentemente, este ano, vendi uma casa em apenas dois dias após ter sido listada, o que denota o quanto o mercado imobiliário está em alta!”, comemora Patrícia Álvares.

“É fundamental que o cliente, antes de começar a procurar a casa dos seus sonhos, fale com um mortgage broker para avaliar sua situação financeira e assim obter uma carta de pré-qualificação de financiamento. Este é um documento super-importante e deve ser o primeiro passo para comprar um imóvel, pois é ele que vai definir o poder de compra, para, aí sim, começar a procurar um imóvel que se encaixe dentro das suas possibilidades reais.”, orienta.

 

Serviço

Patrícia Álvares – Kylin Realty

Fone/Whatsapp: 407-219-6229 

Email: info@patriciaalvares.com

Site: www.patriciaalvares.com

Facebook: patriciafalvares

Instagram: patriciafalvares

Twitter: @ PattyFraga1