Provador – Mas, afinal o que mais você deve levar para o provador além da peça que se quer provar?

voltar

OUT/13 – pág. 70

provadorA história sempre se repete. Você se apaixona por uma peça de roupa, olha-a várias vezes pendurada no cabide, pergunta para a vendedora se tem o seu tamanho e, finalmente, decide encarar um minúsculo lugar cheio de espelhos, com música ambiente e luz estrategicamente posicionada. Mas, afinal o que mais você deve levar para o provador além da peça que se quer provar?

Muito mais do que a sua enorme vontade da peça que está em seu poder caber (ou não, dependendo da situação, podemos desejar o contrário para nos sentirmos aliviadas financeiramente), você deve levar consigo bom senso e um acurado real poder de decisão. Nunca se deixe levar apenas pelas circunstâncias efêmeras da moda. Procure extrair de dentro de você o seu estilo próprio e seja capaz de decidir com muita honestidade: isso realmente combina comigo? Quantas vezes vou poder repetir essa roupa? Quantas combinações será possível fazer com ela? ( o ideal são pelo menos 5). O meu corpo está beneficiado com ela? O preço é justo? O acabamento está equivalente ao preço cobrado? A luz do provador me engana ou diz a verdade sobre meu corpo e sobre o que estou vendo? Posso fazer uma pesquisa melhor sobre isso?

Sei que as perguntas são muitas para uma “paixonite” muito intensa, mas se o caso não for de paixão instantânea mesmo, vale a pena pensar com calma e analisar aquilo que se compra para evitar armários aborrotados de peças sem utilidade. Apaixonar-se faz parte da vida e é muito bom de vez em quando. Mas, se deixar sempre levar por esses sentimentos do tipo “EU PRECISO DISSO” pode ser uma enorme roubada tanto para o sue bolso quanto para a sua alma que tenta se preencher de coisas que não vão resolver o problema.

O provador deve ser um lugar só seu, aonde você deve decidir com calma em tudo que tem em casa, em como você se sente, no conforto da peça (vale a pena se movimentar de todos os jeitos para testar) e o porquê que você se identificou tanto com ela. Precisar a gente pode até estar precisando, mas vamos combinar que isso não ocorre todo dia né?

É preciso não se deixar levar por dois grandes vilões do provador: AS PEÇAS DE LIQUIDAÇÃO E AS PEÇAS QUE SÃO SUPER TENDÊNCIAS. Dois super opostos que podem fazer uma enorme confusão da elaboração dos seus looks diários. As primeiras você pode não as precisar mesmo. E as segundas você pode não saber como usá-las mesmo!!! Portanto, muito cuidado. Pense no custo benefício da peça e o quanto ela fala sobre você. Não se importe com que os outros vão falar de bem ou de mal quando virem você com ela, pense no quanto você pode se sentir linda e feliz no dia de vesti-la!!! Isso sim é ter estilo.

Valéria Didier
Consultora de Imagem
moda@nossagente.net
www.temqueterestilo.com.br