Protagonismo de Taís Araújo em “Amor de Mãe”

Protagonismo de Taís Araújo em “Amor de Mãe”

Na novela “Amor de Mãe”, em exibição na Globo Internacional, Taís Araújo se destaca como Vitória, advogada bem-sucedida que defende políticos e empresários de ética duvidosa. O convívio com os filhos na vida real e o casamento de 14 anos com o ator Lázaro Ramos

Edição de dezembro/2019 – p. 46

Protagonismo de Taís Araújo em “Amor de Mãe”

Taís Araújo vem se destacando no papel de advogada bem-sucedida que defende políticos e empresários de ética duvidosa na novela “Amor de Mãe”, em exibição na Globo Internacional. Na trama ela é casada com Paulo – Fabrício Boliveira –, sofrendo com a perda do bebê no passado, aos seis meses de gestação. Personagem polêmica, que requer da atriz , que completa 41 anos, total empenho, o que ela considera importante no trabalho de interpretação. “É uma honra dar vida a Vitória, uma das protagonistas do folhetim. Que história! Que honra poder contá-la! Que felicidade ter tanta gente especial ao meu lado no elenco. Tenho que dizer obrigada a autora da novela, Manuela Dias, pela oportunidade de viver a Vitória”, relata.

Na vida real, Taís Araújo, casada com o ator Lázaro Ramos, é mãe de dois filhos, João Vicente e Maria Antônio. Impressionada com a conduta da advogada na novela, confessa que pega um pouco da ficção para o seu dia a dia. “Admiro a Vitória porque ela mergulha de cabeça quando o assunto é trabalho. Em ‘Amor de Mãe’, a dedicada advogada passa a maior parte do tempo focada na profissão. Mas ela ressente pela tragédia na sua vida após perder um bebê durante a gestação, Vitória é mulher cheia de fibra”, comenta.

Importante lembrar que Taís Araújo foi à primeira negra protagonizar tramas na teledramaturgia no Brasil, com apenas 17 anos, ao estrelar a novela “Xica da Silva”, na extinta TV Manchete, sob a direção de Walter Avancini, tornando-se conhecida internacionalmente, pois a trama de Walcyr Carrasco foi um sucesso mundo afora.

Em 1997, seguiu para a Rede Globo e nunca mais se desvinculou da emissora. Desde então, participou de novelas como “Anjo Mau”, “Uga Uga” e “Porto dos milagres”. No ano de 2004, estrelou como Preta, em “Da Cor do Pecado”, principal na trama. Além disso, trabalhou em “América”, “Cobras e Lagartos”, “A Favorita” e “Passione”. Já em “Viver a Vida”, novela de Manoel Carlos, novamente foi a primeira negra a ser personagem principal, como Helena.

Filha de um economista e uma pedagoga, Taís formou-se em Jornalismo pela “Universidade Estácio de Sá”. Além da televisão, dedicou-se ao cinema em filmes como “Caminho dos sonhos”, “Drama urbano”, “O maior amor do mundo”, “Nzinga” e “A guerra dos Rocha”. Em 2003, participou de “Garrincha – Estrela Solitária”, viveu Elza Soares, esposa do célebre jogador do Botafogo.

Questões sociais do Brasil

Quando o assunto é a família, a atriz se destaca no seu relacionamento com os filhos, João Vicente e Maria Antônia. Estimula para que eles sejam adultos ativos em questões sociais do Brasil. “Quero que eles entendam, de cara, que eles são muito privilegiados e vivem em um país com muita desigualdade e há uma responsabilidade com isso. Eles têm que saber de onde eles veem, em que país eles estão e o que vão fazer com isso”, alerta. “Não quero crianças omissas e nem passivas, quero crianças que façam alguma coisa”, argumenta.

Taís Araújo é destaque nacional no combate à desigualdade racial e de gênero, adiciona que seus posicionamentos sobre tais assuntos não são enxergados como um peso para ela. “Eu tenho prazer, não é uma obrigação. No país que a gente vive não dá para achar que está tudo bom para todo mundo, não está. Não dá para eu fazer minha mala e viajar com meus filhos. Eu faço isso, não é que eu não faça, vou para onde for. Mas preciso agir com responsabilidade”, pondera.

Casada há mais de 14 anos com Lázaro adora exercitar sua maternidade e conta que  tem o desejo de aumentar a família. Para dar um irmão a João Vicente e Maria Antônia, o casal quer recorrer à adoção. “Eu amo crianças. Mas não me imagino aumentando a família por vias naturais. Queremos adotar uma criança. Mais uma criança em casa é bem-vinda, mas nova gravidez acho que não. Já tem muita gente no mundo, já fiz minha parte”, avalia em tom divertido.

Dentre as homenagens de destaque à atriz ao longo de sua carreira, importante ressaltar que em 2017 foi convidada para participar de uma palestra da Tedx, em São Paulo, contando para uma audiência de cerca de nove mil pessoas, suas experiências no ativismo social na luta pela igualdade de direitos na sociedade. Ainda em 2017, foi eleita uma das 100 personalidades afrodescendentes mais influentes do mundo abaixo dos 40 anos, e recebeu o prêmio em Nova York. Também em 2017 recebeu uma homenagem no “Prêmio Claudia” promovido pela “Revista Claudia”, da Editora Abril, em São Paulo, na categoria “hors concours”, honraria concedida às pessoas que atuam pela igualdade de direitos na sociedade.