Por que Harry e Meghan deixaram a família real britânica? Livro faz revelações surpreendentes!  

O livro “Finding freedom” relata afastamento de Harry e Meghan Markle da família real

 

A partir do dia 11 de agosto chega às livrarias, “Finding freedom” – “Encontrando a liberdade” –, que revela em detalhes o afastamento de Harry e da esposa, Meghan Markle, da família real britânica. A publicação deixa o Palácio de Buckingham em alerta

Da Redação

Chega às livrarias, no dia 11de agosto, o livro “Finding freedom” – “Encontrando a liberdade” em português –, que revela em detalhes o afastamento de Harry e da esposa, Meghan Markle, da família real britânica. E mesmo se tratando de um relato simpático do casal, no Palácio de Buckingham a publicação é vista com certa preocupação quanto à integridade da Rainha Elizabeth II, e dos demais integrantes da realeza, que temem ser apontados como vilões, devido ao desgaste provocado pelo período de transição. Houve polêmica e, após meses de discussão interna o Palácio de Buckingham justificou em um comunicado que Harry e Maghan, “deixarão a condição de membros sêniores para ter maior autonomia financeira em suas atividades públicas e de caridade”.

Casal junto com o filho Archie – O livro é esperado com grande expectativa, pois Harry – sexto na linha de sucessão à coroa britânica –, e Meghan expressaram por meio do seu porta-voz que não têm nenhuma relação com a publicação deste livro. E segundo trechos da obra escrita pelos jornalistas Omid Scobie e Carolyn Durand, é revelado que a decisão do afastamento da família real partiu de Harry, quando os jornais começaram a perseguir a atriz e sua mulher, causando  constrangimentos ao casal.

“Finding freedom”, apostam os autores, poderá “retificar” a versão que foi dada a este acontecimento e insistem no “esgotamento emocional” sofrido pelo casal, que se sentia sozinho e pressionado dentro do palácio.

“Eles podiam contar apenas com algumas pessoas no palácio. Sabiam que fora desse núcleo restrito nenhuma informação estava segura”, escreveram os autores, afirmando que houve várias revelações de informações por parte da equipe que estava ao seu serviço.

No livro, Scobie e Durand afirmam que Harry teria enviado um e-mail para a Rainha Elizabeth e ao seu pai, o príncipe Charles, expressando o desejo de se afastar das obrigações reais e passar mais tempo no exterior. E que “temendo algum vazamento”, não entrou em detalhes e disse que desejava falar com eles pessoalmente.

“Apesar de várias tentativas” de organizar um encontro com a rainha no início de janeiro, a reunião não pôde ser realizada, o que levou ao anúncio surpreendente, no dia 8 de janeiro, amplamente criticado pela imprensa britânica, principalmente porque o casal não havia notificado previamente a Rainha.

De acordo com a publicação, Meghan nunca se sentiu apoiada pela cunhada – mulher do príncipe William -, Kate Middleton, e que nunca teria ido além de uma “cortesia distante” na relação com a mulher de Harry. O casal Harry e Meghan vivem com o filho, Archie, na Califórnia, nos EUA.