Poliana Abritta, a moça do “Fantástico”

Poliana Abritta, a moça do “Fantástico”

Poliana Abritta fala da fertilização in vitro para engravidar dos três filhos. O tom ruivo dos cabelos que faz sucesso entre as mulheres, e revela o porquê das tatuagens, motivos de comentários no Brasil

Edição de abril/2019 – p. 46

Poliana Abritta, a moça do “Fantástico”

Todos os domingos lá está ela, a apresentadora Poliana Abritta, ancorando o “Fantástico”, na Globo, ao lado de Tadeu Schmidt – a revista eletrônica de maior sucesso na televisão brasileira, há 45 anos no ar. Mãe dos trigêmeos, Manuela, José e Guido, Poliana tem motivos para comemorar a audiência do programa que lidera em seu horário com reportagens, musicais e informações que pontuam o mundo globalizado. A jornalista confessa o seu amor pela profissão, o que denota seu empenho e ímpeto diante das câmeras.  “Sou apaixonada pelo meu trabalho. Adoro reportar. Se eu tiver que sentar numa bancada e entrar na tua casa e te contar: ‘Vem ver o que está acontecendo. Está acontecendo isso, assim, assim, assado’. Eu me sinto em casa, me sinto muito à vontade com a câmera e com quem estiver me ouvindo do outro lado. Acho que sou uma profissional apaixonada”, revela.

Inclusive, um fato que ficou relevante na carreira de Poliana foi o burburinho causado pela exibição de uma tatuagem de orquídea na sua perna direita, quando na sua estreia no “Fantástico”, que foi motivo de comentários. Mas a apresentadora não deixou se intimidar e revelou que também tem outra a tatuagem, a de uma caveira mexicana na sua coxa direita. “Vou logo dizer que tenho uma caveira tatuada porque uma hora vai aparecer. Essa vai fazer mais sucesso, não vai? Ela tem chapéu, óculos escuros em formato de coração, e está sorrindo”, conta a jornalista. “A moça do ‘Fantástico’ tem uma tatuagem na perna, viram que interessante?”, era o que as pessoas comentavam sobre a orquídea tatuada.

“Chega uma hora em que nós somos todos iguais, não importa a posição que eu ocupo, o restaurante onde eu janto, porque somos iguais”, retruca. E quanto às tatuagens, “elas são a minha essência e falam muito da minha história”, continua, enfatizando principalmente à tatuagem da caveira mexicana. “Essa é a Poliana. Todo mundo sabe que sou assim, ninguém me convidou e depois pensou ‘Meu deus, ela tem uma tatuagem’. Imagino que não seja um problema para ninguém”, diz.

Fertilização in vitro

Quando esteve à frente da série “Fertilidade, um projeto de vida”, que foi lançada no ano passado no “Show da Vida”, contando as angústias e dilemas de pessoas que têm o sonho de serem mães e pais, mas são impedidos por problemas biológicos, Poliana fez revelações surpreendentes de sua vida pessoal. E para quem desconhecia o fato, ela disse que apesar de ser mãe de trigêmeos, também enfrentou problemas para gerar seus filhos. Conta que passou sete anos tentando engravidar, mas não conseguiu porque foi diagnosticada com endometriose, doença ginecológica que descobriu depois de investigar o motivo da infertilidade. “Em um primeiro momento, a sensação é de impotência. Como demorei a descobrir o diagnóstico, vinha junto um pouco de culpa. Passei alguns anos tentando engravidar, sofrendo calada. Não queria que as pessoas soubessem”, diz.

E após diversas tentativas, a jornalista decidiu fazer uma fertilização in vitro e hoje é mãe de trigêmeos: Manuela, José e Guido. “Eu olhava para a fertilização como uma luz no fim do túnel. Não foi uma decisão difícil”, afirma Poliana, que está feliz da vida ao lado dos filhos com quem divide os seus momentos de lazer.

Poliana enfatiza que, sempre quando vista em público ou mesmo nas entrevistas e através das perguntas que recebe em suas redes sociais, o tom do seu cabelo é um questionamento constante do público feminino. Todas querem obter o tom ruivo e aloirado da apresentadora, que a deixam extremamente charmosa. As suas seguidoras admiram a tonalidade dos seus fios. Recentemente, a jornalista contou alguns segredos sobre suas madeixas. Então vamos lá: Em sua conta no Instagram publicou uma curiosidade ao revelar que seu ruivo não é natural: ela é grisalha.

“Os fios brancos começaram a aparecer quando eu tinha vinte e três aninhos. Mas antes de ser grisalha, meu cabelo era loiro escuro”, escreveu. “Desde então, tinjo os fios, sempre optando por tonalidades avermelhadas, já que gosto de ser ruiva”.

Ela, inclusive, citou o trabalho da cabeleireira Tania de Souza, que cuida do seu visual. Com mais luzes, a franja menor e o comprimento dos fios na altura do ombro, Poliana detalha que a mudança foi consequência daqueles famosos “cinco minutos”, quando alguém está disposto a fazer uma mudança o mais rápido possível. “Sabe quando bate aquele famoso ‘cinco minutos’”.

Por que dos saltos altos?

A jornalista revela que os saltos altos não eram parte do seu figurino na apresentação do “Fantástico”, mas precisou desse recurso ao lado de seu colega, Tadeu Schmidt. “O Tadeu é muito alto. Ele tem 1,95m. Eu tenho 1,70m, não sou tão pequeninha assim. Mas perto dele são 25 centímetros a menos. Então para não ficar tão diferente, comecei a andar com saltão lá dentro”, admite a apresentadora.